Sergipano troca telefone fixo por celular

0

Crescimento no número de celulares em SE foi de 500% nos últimos 5 anos
Considerado objeto de luxo quando foi lançado no mercado brasileiro, em 1990, o telefone celular é hoje um dos utensílios eletrônicos mais populares do Brasil. Além da queda no preço dos aparelhos, o serviço pré-pago provocou uma revolução na telecomunicação do país e de Sergipe através de um efeito gangorra: enquanto o número de celulares cresce, o de telefones fixos cai.

 

Crescimento de 500% em SE

 

Segundo o levantamento mais recente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), realizado em maio de 2009, a quantidade de telefones móveis em Sergipe é de quase 1,6 milhão, sendo 86% desse total pré-pago. Em 2004, existia pouco mais de 300 mil aparelhos no estado, um impressionante aumento de 500% que supera o índice nacional de 200%.

 

Moura acha que preços mais baratos dos aparelhos justificam troca
Já a atual quantidade de linhas telefônicas residenciais e comerciais em Sergipe é de pouco mais de 207 mil, um número reduzido em comparação ao registrado em 2006, que ultrapassava a marca de 215 mil. Os sergipanos seguem na contramão do índice nacional, que registra um tímido crescimento no mesmo período (menos de 10%).

 

39% dos nordestinos possuem apenas o celular

 

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD) de 2007 mostram que 59% dos lares nordestinos têm pelo menos algum tipo de telefone, sendo que em 39% deles, mais da metade, há apenas o celular. Para o economista Luis Moura, além da disponibilidade do serviço pré-pago, outros pontos são fundamentais para justificar tal fenômeno.

 

“A maior distribuição de renda e a redução do preço dos aparelhos tornaram o telefone móvel mais acessível e a partir daí algumas famílias começaram a julgar desnecessária a despesa com o telefone fixo, já que a conta dele, como o próprio nome diz, é fixa”, opina o economista.

 

Jonathan eliminou despesa de R$ 60 que tinha com o telefone fixo
Despesa a menos

 

A avaliação de Moura pode ser aplicada perfeitamente no caso do técnico em informática Jonathan dos Santos Lessa, que cancelou definitivamente sua linha fixa ao perceber que a quantia de R$ 60, paga mensalmente pelo serviço, poderia ser aplicada em outra coisa. “Eu tenho celular e minha esposa também, passamos boa parte do dia fora de casa, então resolvi tirar o residencial”, fala.

 

Apesar de ter a menor população do Nordeste, Sergipe tem quantidade de telefones móveis superior ao estado do Piauí, cuja quantidade de moradores é 50% maior.

 

Por Glauco Vinícius

Comentários