Sergipe atrai novas indústrias para o interior do Estado

0

(Foto: Vieira Neto/Divulgação Sedetec)

Sergipe se tornou um pólo de atração de empresas e indústrias nos últimos anos. A combinação de uma política de desenvolvimento industrial com a boa infraestrutura oferecida pelo Estado impulsionou a fixação de mais de uma centena de novos estabelecimentos empresariais, gerando milhares de empregos. Somente desde 2014 até o momento foram aprovados 55 empreendimentos que, juntos vão proporcionar a geração de mais de mil novos postos de trabalho.

Os números mostram o dinamismo da economia do estado, que diversificou seu parque industrial e estimulou a interiorização dos investimentos, tornando o desenvolvimento mais homogêneo. A prova disso é que cerca de 70% das 175 empresas atraídas desde 2007 para Sergipe se instalaram em municípios do interior, a exemplo de Estância, Itabaiana, Itaporanga D’Ajuda, Simão Dias e Tobias Barreto, entre outros.

Secretário Chico Dantas (Foto: Silvio Araújo/Sedetec)

São empreendimentos nas áreas de confecção, cerâmica, fertilizantes, embalagens plásticas, embalagens de alumínio, bebidas, mobiliário, calçados, fabricação de móveis e colchões, laticínios, entre outros, que têm levado desenvolvimento e renda para os municípios do interior, onde estão sendo instalados, e contribuído para fixar os habitantes em seus locais de origem. Com uma localização favorável, próximo dos estados de Pernambuco e Bahia, e uma malha viária moderna, que faz com que os custos da distribuição de produtos ou insumos a partir daqui sejam menores para outras regiões, Sergipe tem se destacado no Nordeste, na atração de empresas para seu parque industrial.

Tendo como uma de suas metas a interiorização do desenvolvimento, o Governo do Estado aposta no tripé que abrange incentivos fiscais competitivos, ambiente de negócios simplificado, favorável e acima de tudo ético, e localização geográfica estratégica para celebrar o sucesso alcançado nos últimos anos, com a chegada de grandes empreendimentos para Sergipe. Uma dessas empresas, a Indústria Vidreira do Nordeste (IVN) está em obras na cidade de Estância e promete ser a quarta e mais moderna empresa da Verallia no Brasil, fábrica de embalagens de vidros da multinacional Saint-Gobain. A previsão de início das atividades é em dezembro de 2015, com geração de 195 empregos quando atingir o pleno funcionamento, a partir de um investimento de mais de R$ 250 milhões.

Outro grande empreendimento, o grupo empresarial M. Dias Branco assinou protocolo de intenções com o Governo do Estado para instalar uma unidade de produção de cimento em Sergipe, em local a ser definido e por meio da subsidiária cimento Apodi. O investimento será de R$ 1 bilhão e o projeto industrial será constituído de uma unidade de produção de cimento, operando desde a mineração até o ensacamento do produto e com capacidade de produzir 4.000 toneladas/dia. Somente durante a construção da fábrica serão gerados 2 mil empregos, já na fase de funcionamento devem ser criados 383 novos postos de trabalho diretos. A unidade atenderá os mercados sergipanos e de outros estados do Nordeste. Atualmente, Sergipe possui três fábricas atuando no mercado: Grupo Votorantim (Laranjeiras), Itaguassu (Nossa Senhora do Socorro) e Mizu (Pacatuba).

O principal projeto industrial que vem sendo realizado em Sergipe, a implantação da primeira indústria automobilística do Estado, a montadora de veículos Amsia Motors, deverá colocá-lo em uma posição de vanguarda no ramo com a produção de veículos não poluentes, movidos a eletricidade e utilizando o que existe de mais moderno e inovador no mundo em termos de tecnologia automotiva. A montadora vai produzir veículos automotores híbridos e elétricos, com expectativa de gerar aproximadamente 4 mil empregos diretos, onde será investido um montante aproximado de R$ 1 bilhão. A planta industrial deverá ser instalada no município de Barra dos Coqueiros, num terreno próximo ao Parque Eólico, nas imediações do antigo projeto do Pólo Cloroquímico e no momento os investidores estrangeiros estão tratando do registro na Junta Comercial de Sergipe do empreendimento produtivo que tem o potencial de mudar a estrutura industrial de Sergipe.

Preocupado em atender as demandas dos empreendimentos que pretendem fixar suas unidades de produção no interior do Estado, o Governo de Sergipe, através da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) já iniciou as conversas com os dirigentes da Sergás, a fim de ampliar a oferta de gás natural para as indústrias. “O Governador Jackson Barreto colocou como prioridade levar mais investimentos ao interior e estamos trabalhando para levar o produto para os municípios, visto que até os próximos cinco anos a previsão é de que a disponibilidade  em Sergipe aumente de 3 milhões m³ de gás/dia para 18 milhões m³ gás /dia”, informou o secretário Francisco Dantas. 

Ainda de acordo com o secretário, a economia sergipana deu um salto quantitativo e qualitativo nos últimos anos. Além do crescimento fundamentado na evolução econômica do país e do estado, o parque industrial renovou-se, ampliando o número de indústrias e diversificando as linhas de produção. “Atualmente Sergipe abriga empresas dos setores de telemarketing, artefatos plásticos, metalurgia, fabricação de colchões, beneficiamento de arroz, confecção, curtume, artefatos de cerâmica, fabricação de especiarias, molhos e condimentos, comércio e indústria de cabos elétricos para fins automotivos, tecelagem de fios de algodão, artefatos de cimento, minerais não metálicos, produtos químicos, dentre outros”, detalhou Francisco Dantas ao afirmar que Sergipe continuará crescendo.

Fonte: Ascom Sedetec

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais