Sergipe tem mais de 10 mil empresas gerando receita de R$ 24 bi

0
Entre os segmentos analisados, o comércio varejista possui o maior destaque. (Foto: IBGE)

Em Sergipe, houve um aumento de unidades locais do comércio entre os anos de 2010 e 2019, saindo de de 8.785 para 10.673 empresas, o que representa um aumento de aproximadamente 21,5%. Apesar do
aumento, na comparação entre 2018 e 2019, houve uma queda de 450 unidades locais no estado, o que
refletiu na redução de 1.189 pessoas ocupadas (ou de 1,7%).

Entre os segmentos analisados, o comércio varejista possui o maior destaque, pois representa 80,3% do
total de unidades locais do comércio, seguido de 12,2% por atacado e 7,5% de comércio de veículos, peças
e motocicletas.

Com exceção do Maranhão, em todos os estados nordestinos o comércio varejista foi predominante. No
país, 16 unidades da federação contaram com este comércio como predominante. Enquanto isso, o
comércio de veículos não predominou em nenhuma UF.

Ao todo, 69.214 pessoas estavam ocupadas em algum destes três segmentos do comércio, sendo 53.804 no comércio varejista (ou 77,7%). O percentual é seguido de 13,1% no comércio por atacado e de 9,2% no
comércio de veículos, peças e motocicletas. Em 2010, o número total de pessoas ocupadas era de 62.869.

Mesmo com as quedas no número de unidades locais, a receita bruta de revendas saiu de R$ 22,1
bi para pouco mais de R$ 24 bi. Em uma análise de 10 anos, a receita bruta mais que dobrou no estado, já
que em 2010 foi de R$ 11,6 bi. Apesar disso, em uma análise da região Nordeste, no período de 2010 a
2019 foi possível perceber que Sergipe perdeu em participação na receita bruta de revenda.

O gasto com salários, retiradas e outras remunerações tiveram um leve aumento entre 2018 e 2019
de R$ 1,9 milhão, chegando ao total de R$ 1,295 bi. Já a margem de comercialização, que é definida pela
diferença entre a receita líquida de revenda e o custo de mercadorias vendidas foi de R$ 4,068 bi em 2019.
Em 2018, esta margem foi maior, chegando a R$ 4.372 bi.

Fonte: IBGE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais