Servidores do Fisco querem reformular carreira

0
Servidores do Fisco debatem questões específicas (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

O segundo dia de paralisação do funcionalismo público foi marcado por debates isolados. Parte dos servidores da Secretaria de Estado da Fazenda se reuniu na sede do Sindicato dos Servidores do Fisco (Sindifisco) para analisar pontos específicos, que na ótica da categoria, precisam ser revistos.

Nesta reunião, os servidores deliberaram a realização de uma assembleia geral para definir novas formas de mobilização com a possibilidade de aprovar proposta pela paralisação semanal das atividades do fisco em Sergipe. A assembleia geral deverá acontecer no início do próximo mês em data a ser definida pela diretoria do sindicato.

O presidente do Sindicato dos Servidores do Fisco (Sindifisco), Paulo Pedrosa, ressaltou que no debate que aconteceu pela manhã no sindicato ficou clara a necessidade de medidas que possam corrigir as defasagens existentes no plano de carreira desta categoria. “Não há limitação nas atribuições dos auditores fiscais”, ressaltou.

O sindicalista revela a quantidade insuficiente de auditores para atender a demanda, destacando como exemplo as auditorias realizadas nas cerca de 400 empresas beneficiadas pelo Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (SPDI). “Há apenas um auditor para realizar as auditorias em todas estas indústrias e esta é uma grande distorção no nosso plano de carreira”, diz Pedrosa.

Pedrosa: necessidade de reformular carreira

O sindicalista revela que há cerca de 400 auditores tributários I que alcançaram o topo da carreira e que ainda têm cerca de oito a dez anos de atividade pela frente, sem a perspectiva de progressão na carreira. “Todos eles estão estagnados”, diz. Além destas questões, os auditores reclamam das condições de trabalho e defendem a presença de policiais ativos para acompanhar o trabalho dos auditores. “O policiamento nos postos de fiscalização é feito por policiais reformados, queremos que sejam policiais da ativa para acompanhar os auditores, que não possuem retaguarda da força policial no desempenho da atividade”, diz.

Ao Portal Infonet, o secretário de comunicação Sales Neto revelou que o governo do estado desconhece estas reivindicações dos servidores do fisco. O secretário revela que o governo se coloca à disposição para conhecer as propostas.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais