Sindipetro denuncia demissões e hibernação no Tecarmo

0
Segundo o Sindipetro, demissões vão ocorrer (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A diretoria do Sindicato dos Petroleiros de Alagoas e Sergipe (Sindipetro AL/SE) denunciou nesta segunda-feira, 30, que a Petrobras está iniciando o processo de hibernação do Tecarmo, semelhante ao modelo adotado com a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen), cuja hibernação foi iniciada no final do mês de janeiro.

De acordo com a diretora do Sindipetro AL/SE, Gilvani Alves, o comunicado já foi anunciado pela empresa aos trabalhadores. “Na sexta, houve uma reunião no Tecarmo e a empresa informou aos funcionários que atendendo ao plano de redução de custos, iria começar o processo de hibernação do Tecarmo. A nossa preocupação é porque no meio dessa pandemia, precisamos garantir o emprego dos trabalhadores, pois é muito desumano fechar uma área tão importante e o trabalhador não ter como assegurar seu emprego. O trabalhador vai pra onde?”, questiona.

Apesar de ainda não ter números oficiais, Gilvani diz que o número de funcionários afetados pode ser grande. “Pensamos aí em mais de 1000 empregos diretos e indiretos, envolvendo funcionários e vendedores do entorno do Tecarmo. Para continuar atendendo o lucro dos acionistas, a Petrobras tem um plano de redução de custos, onde não vai investir, mas hibernar plataformas de águas rasas. Na prática, a hibernação já aconteceu porque alguns trabalhadores já entraram em férias coletivas e outros contratos mandaram encerrar”, conta.

Gilvani Alves denuncia ainda que devido ao fechamento da Sede na rua do Acre, mais de 50 trabalhadores vão ser demitidos. “Houve a transferência de alguns para Carmópolis, mas os terceirizados não deverão permanecer”, lamenta.

Medidas

A direção do Sindicato pretende se reunir de forma online, nesta segunda-feira, 30, na tentativa de ver quais medidas serão adotadas para preservar o emprego dos funcionários. O Sindicato diz ainda que está dialogando com o Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre as recomendações para evitar o coronavírus, e que na oportunidade, também irá dialogar sobre a hibernação do Tecarmo.

Petrobras

A Petrobras informou que, tendo em vista os impactos da pandemia do COVID-19 (coronavírus) e da redução abrupta dos preços e da demanda de petróleo e combustíveis, adotou ações para redução de custos e preservação do seu caixa, além das medidas para preservar a saúde dos colaboradores e apoiar na prevenção da doença nas áreas operacionais e administrativas.

De acordo com a Petrobras, conforme anunciado ao mercado na quinta-feira, 26, entre as ações está a hibernação das plataformas em operação em campos de águas rasas, com custo de extração por barril mais elevado, que, em virtude da queda dos preços do petróleo, passaram a ter fluxo de caixa negativo. A produção atual de óleo desses campos é de 23 mil bpd e os desinvestimentos nesses ativos continuam em andamento.

A decisão, que abrange as plataformas da companhia localizadas em águas rasas do Ceará, Rio Grande do Norte, Sergipe e no Polo Garoupa da Bacia de Campos, faz parte de um conjunto de medidas que tem por objetivo a redução da sobreoferta no mercado externo e diminuição da exposição pela redução da demanda mundial de petróleo causada pela pandemia do coronavírus e crise do petróleo.

por Aisla Vasconcelos

Comentários