Trabalhadores da Petrobras fazem manifestação no Tecarmo

0
Assembleia geral e ato em memória a vítimas de acidentes (Foto: Ascom/Sindipetro)

Os trabalhadores da Petrobras realizaram assembleia geral no Tecarmo na manhã desta sexta-feira, 16, e rejeitaram a proposta da Petrobras relativa às negociações para assinatura de acordo coletivo pela reposição salarial. No mesmo momento, os operários prestaram homenagens às vítimas do incêndio ocorrido no ano de 1984 em uma das plataformas na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, que deixou um saldo de 37 trabalhadores mortos.

No entendimento dos trabalhadores, a proposta da estatal corta conquistas e repõe apenas 70% da inflação medida pelo INPC, conforme explica o sindicalista Alealdo Hilário, diretor do Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos nos Estados de Sergipe e Alagoas (Sindipetro).

Os trabalhadores permanecem em estado de assembleia geral, com mobilizações na sede das diferentes unidades da Petrobras em todo território nacional. As assembleias devem ser encerradas na quarta-feira da próxima semana, 21. Por enquanto, a maioria dos trabalhadores está rejeitando a proposta. Conforme Alealdo Hilário, na sede do Tecarmo, em Aracaju, a proposta foi rejeitada por 90 trabalhadores, dos 106 que participaram da assembleia geral. Apenas 19 foram favoráveis, segundo o sindicalista.

Durante a assembleia geral, os trabalhadores realizaram uma manifestação, com um minuto de silêncio, em homenagem aos 37 trabalhadores mortos durante um incêndio na Plataforma de Enchova, na Bacia de Campos, no Estado do Rio de Janeiro, ocorrido no dia 16 de agosto de 1984. O maior acidente registrado na empresa, segundo o Sindipetro. “O momento de silêncio em memória aos companheiros que perderam a vida nesse trágico acidente”, observou Alealdo Hilário.

Os sindicalistas demonstram preocupação com o índice de acidentes. Segundo dados do Sindipetro, entre os anos de 1995 e 2017 somaram 372 mortes de trabalhadores vítimas de acidentes ocorridos na empresa, entre os quais 303 terceirizados.

O Portal Infonet tentou ouvir a Petrobras sobre as questões destacadas pelos sindicalistas, mas até o momento não obteve êxito. O Portal Infonet permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

por Cassia Santana

Comentários