Vendas no varejo sergipano recuam 17,4% em abril

0
No ano, o volume de vendas no varejo já acumula queda de 9,6% (Foto: Marcelo Casal Jr/EBC)

Em abril de 2020, o comércio varejista em Sergipe recuou 17,4% frente a março, na série com ajuste
sazonal. A média móvel trimestral foi de -7,7% no trimestre encerrado em abril. Na série sem ajuste
sazonal, no confronto com abril de 2019, o comércio varejista recuou 25,0% no volume de vendas.

No ano, o volume de vendas no varejo já acumula queda de 9,6%. Já o acumulado nos últimos doze meses ficou em -4,7%. Os resultados para abril de 2020 refletem a continuação das medidas de isolamento social devido à pandemia de Covid-19 iniciadas na segunda metade de março, quando o volume de vendas já havia registrado variação de -5,4%.

No comércio varejista ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o
volume de vendas reduziu 8,5% em relação a março de 2020, enquanto a média móvel trimestral, que em
março estava em -5,7%, passou a -9,1%. Em relação a abril de 2019, o comércio varejista ampliado retraiu
29,3%, sexta taxa negativa consecutiva, em uma série histórica marcada por quedas bastante expressivas
nos meses de março e abril. No acumulado de 2020, Sergipe registrou uma diminuição de 12,5% no
volume de vendas, e no acumulado de 12 meses, houve redução de 5,0%.

Varejo tem perdas em todas as 27 unidades da federação

Com a expansão das medidas de isolamento social em todas as unidades da federação, o volume de
vendas no varejo teve queda generalizada. Na comparação entre abril e março, com ajuste sazonal, a
variação menos intensa foi a de Santa Catarina (-4,3%), seguida de Roraima (-8,9%) e Tocantins (-8,9%).
Para o Brasil, a queda foi de 16,8%. O Amapá teve a maior queda na comparação, registrando -33,7%,
seguido por Rondônia (-21,8%) e Ceará (-20,2%). Na região Nordeste, o melhor resultado veio do Rio
Grande do Norte (-11,6%) e o pior veio do Ceará (-20,2%). Sergipe (-17,4%) registrou o décimo pior
resultado nacionalmente.

Fonte: Unidade Estadual do IBGE em Sergipe

Comentários