Vendas superaram expectativas do comércio

0

Previsão inicial era de que as vendas fossem 10% maiores que 2008
As vendas de fim de ano no comércio aracajuano foram até 12% maiores que em 2008. O dado preliminar foi repassado pelo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da capital, Samuel Schuster. Em alguns ramos, o índice é de até 40% a mais, uma prova de que a tão temida crise financeira foi definitivamente superada pelo brasileiro.

Na última previsão do CDL, esperava-se que as vendas para as festas de fim de ano crescessem até 10%. “O resultado é bem superior ao que esperávamos. O movimento no comércio foi grande”, diz Schuster. Segundo ele, o resultado pode ser atribuído a um comportamento atípico, mas cauteloso, do consumidor.

Samuel Schuster diz que comportamento do consumidor ajudou
“Durante a crise, houve uma restrição às compras. Mas as pessoas decidiram quando era a hora de comprar. Todo fim de ano, por pior que seja, sempre é bom em relação a outros meses”, explica Schuster.

Diferencial

Mesmo não tendo atingido a meta de vendas, Roberto da Conceição, sub-gerente de uma loja de calçados, confirma que a crise foi superada. “O consumidor não deixa de comprar nessa época, por isso é o período mais esperado pelo comércio”, explica. Na loja onde trabalha, as vendas foram 25% superiores ao mesmo período de 2008. “No setor de calçados a concorrência é grande, até mesmo entre lojas e uma mesma rede. Então o que vai ajudar são os diferenciais que são oferecidos: atendimento, preço, produtos”.

Roberto diz que não atingiu meta, mas vendeu 25% a mais
Já Solange Silva, gerente de uma loja de roupas do Calçadão da rua João Pessoa, revela que os resultados obtidos com as vendas de fim de ano devem ser comemorados. “Em cinco anos, este foi o melhor. Atingimos o índice de vendas 15% superior a 2008”, diz.

Para ela, também vale a tese de que o consumidor brasileiro segurou o bolso até o Natal, numa tentativa de explicar os bons resultados. “Em anos anteriores sempre havia uma antecipação nos meses de outubro e novembro. Mas em 2009, as vendas nesses meses ficaram estagnadas. O otimismo com o fim de ano existia, mas sempre fica aquela interrogação”, conta.

Solange diz que 2009 foi o melhor dos últimos cinco anos

Superadas as metas, ela diz que é chegada a hora das liquidações. “Temos que limpar o estoque para a nova coleção”, diz a gerente. Na loja que administra, as roupas já estão com 30% de desconto a partir desta segunda-feira, 4. São elas que devem alavancar as vendas em pleno mês de férias. “Não chega a atingir os resultados de dezembro, mas acredito que o movimento também será bom”, prevê Schuster.

Comentários