Apae se reergue e assistidos retornam nesta segunda, 9

0
Crianças retornaram às atividades na manhã desta segunda-feira, 9 (Fotos: Portal Infonet)

As crianças, adolescentes e adultos assistidos pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae/Aracaju) retornaram na manhã desta segunda-feira, 9 após um mês de férias. A instituição que entra 2015 com a perspectiva de equilibrar as finanças por conta das ajudas que vem recebendo, oferece serviços na área de saúde com profissionais de Terapia Ocupacional, Fisioterapia e Psicologia, com atendimento aos autistas de 0 a 7 anos.

A Apae que  funciona há 47 anos em Aracaju, correu o risco de fechar as portas em meio a uma crise financeira em 2013. Mas, de acordo com o presidente da Apae Aracaju, Max Santos Guimarães, houve uma melhora significativa em torno das finanças.

“Tivemos uma melhora significativa, pois a gente estava com quatro meses de salários atrasados e hoje estamos só com dois meses. Estamos recebendo uma ajuda significativa do Governo Estado que está fazendo a gente manter esses pagamentos e estamos tentando arrecadar pra sobressair para suprir os salários dos 128 funcionários”, ressalta lembrando que a Apae estará a partir deste mês recebendo uma percentagem por meio do Cajucap [título de capitalização].

Mães acompanharam as crianças e adolescentes portadores de deficiência

“Com o retorno do Cajucap, conseguimos essa ajuda que será muito bem vinda. A parte de arrecadação se transforma no resgate do que a pessoa compra, o equivalente a 10%. O repasse será retroativo, ou seja, o repasse das vendas do dia 08 de fevereiro, quando chegar no dia 8 de abril, vai repassar para as Apaes e a gente vai conseguir melhorar o nosso atendimento, a nossa capacidade e aumentar o nosso número de assistidos, já que segundo o IBGE, 1/3 da população de Sergipe, possui algum tipo de deficiência. Em Sergipe são 580 mil pessoas e em Aracaju 160 mil pessoas com algum tipo de atendimento”, informa.

Assistência

Max Guimarães destacou que a Apae Aracaju, assiste a 186 pessoas, por meio de oficinas de arte, pintura e música, além de Atendimentos Educacionais Especializados para crianças de zero a sete anos.

Max Guimarães: "Ajudas são bem vindas para ampliar atendimento"

“Na área de Saúde nós temos a parte de Fisioterapia, terapeuta ocupacionais e psicólogos. Por conta da crise, passamos a atender a parte de Educação, somente no turno da manhã na parte da manhã; na área de Saúde, estendemos até às 14h e assistência de manhã e de tarde para atender não só as pessoas com deficiência, mas os familiares”, explica.

Quanto ao transporte, ele disse que dispõe na parte de Educação, caso esteja dentro do roteiro. “Mas como atendemos também pessoas do interior, contamos com o transporte que vem dos municípios. Verificamos com os secretários de assistência social e de saúde, para que inclua uma pessoa com deficiência no carro para que não perca o atendimento na Apae”, acrescenta.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais