Estância: Prefeitura e associações irão arcar com transporte escolar

0
Alunos do nível superior fecharam parceria com a prefeitura da cidade para subsidiar parte da mensalidade do transporte Estância/Aracaju (Foto: Divulgação Prefeitura de Estância)

Imagina a dificuldade de um estudante de nível superior que, além das despesas com o curso, quando este é gratuito, e até com as mensalidades, no caso das entidades particulares, ainda tem que pagar um valor mensal para conseguir ir até a universidade que oferta o curso que ele deseja. Imaginou? Pois bem, em Estância essa é a realidade de quase 500 estudantes que se organizaram em duas associações: a Associação Estanciana dos Estudantes das Entidades Particulares de Estância (AEEEP) e a Associação dos Estudantes Federais de Estância (ASEFE) para conseguires se deslocar diariamente de Estância para diversas salas de aula em Aracaju.

“A nossa mensalidade do transporte chegou a R$ 260. Isso porque o nosso estatuto não permite um valor maior. Mas o custo real seria de R$ 280. Ou seja: mesmo cobrando o valor máximo permitido, tínhamos um prejuízo de R$ 20 por cada aluno, o que gera uma dívida muito grande”, garante o presidente da AEEEP, Lucas Silva, estudante de Sistema de Informação.

Na outra ponta, dentre os alunos da rede pública federal, mesmo não tendo que pagar a mensalidade, os problemas também são similares. “Pagar R$ 260 é muito para quem ou é muito jovem, depende dos pais, ou já é gente que tem família, tem filhos, paga aluguel. É bem difícil”, diz Jessica Aline Neves, da ASEFE, Doutoranda em Química.

Dessa forma, não resta opção a não ser procurar ajuda oficial. E os estudantes encontraram na prefeitura de Estância uma parceria interessante: a administração municipal arca com parte dos custos do transporte, através de doação de recursos próprios. E isso ajuda a baratear consideravelmente os custos da mensalidade individualmente.

No caso da ASEFE, dos cerca de R$ 260 que teriam que ser cobrados, a mensalidade cai, com a parceria com a prefeitura, para cerca de R$ 140. “Uma economia muito importante”, frisa Jessica, que, mesmo com a ajuda da prefeitura, se mostra preocupada com planejamento. “É que já peguei gestões anteriores a essa que simplesmente não repassavam o valor da parceria. E a dívida, naquela época, ficou tão alta que tivemos que colocar as empresas de transporte para negociar direto com a prefeitura durante aquela gestão.

Com 245 alunos associados, a AEEEP poderia ficar esvaziada se a prefeitura não fechasse a parceria. “Aí seriam cento e poucos alunos. Muita gente deixaria de estudar. Porque já pagam caro nas mensalidades dos cursos. Com o apoio da prefeitura, o valor da mensalidade do transporte da AEEEP cai para entre R$ 160 e R$ 170.

Repasses

Da parte da prefeitura, as contas são bem objetivas. Em 2019, após receberem as contas das associações, com os demonstrativos de todas as despesas, o repasse se dará mensalmente a partir de abril, somando, ao todo, nove meses durante o ano. No final, o repasse se aproxima de R$ 500 mil, divididos entre as duas associações.

“É difícil, a gente aperta um pouco mais o cinto, buscamos economizar mais, mas seria um absurdo o prefeito ser chamado a colaborar e se negar. Por isso fechamos, novamente, essa parceria com as associações. E, neste ano, com um bônus: ao invés de oito parcelas, repassaremos nove parcelas no total, o que ajuda, sem dúvida, aos nossos estudantes. E eles, formados, ajudarão a construir o futuro de Estância”, avalia do prefeito da cidade, Gilson Andrade (sem partido).

Mas é Jessica Aline que melhor define a importância desse tipo de parceria como a celebrada entre a prefeitura e as associações. “É um valor que muitos dos alunos tiram de suas dívidas, que teriam que pagar num boleto de água e energia, por exemplo, para pagar o boleto da associação. Então, assim: ele abre mão de uma coisa para conseguir um futuro. Quanto mais reduzir o valor do boleto, que o auxílio da prefeitura consegue reduzir bastante, isso é proveitoso para a gente e para o futuro de nossa nação”, finaliza Jessica Aline.

Fonte: assessoria da Prefeitura de Estância

Comentários