Greve geral: onze categorias de Aracaju irão parar nos dias 30 e 31

0

 

Sindicatos se reuniram em assembleia unificada (fotos: Sindipema)

Onze categorias de servidores do município de Aracaju irão parar nos dias 30 e 31 de julho. Em conjunto, os sindicatos procuram fortalecer a causa e lutam por uma pauta unificada: reajuste salarial e condições de trabalho. A Greve Geral acordada em assembleia que ocorreu ontem à tarde, 18, afetará alguns serviços como Saúde, Educação e Segurança, mas de acordo com os sindicatos a lei (de greve) será obedecida e 30% dos servidores irão trabalhar para atender os casos essenciais.

Categorias farão greve geral

No dia 30, às 7h30, os servidores irão fazer um ato na praça General Valadão e panfletarão pelo centro da cidade. “O objetivo é chamar a atenção da população para as reivindicações das categorias. Falando da pasta Educação, as más condições de trabalho são constantes, seja na estrutura física, atraso de pagamento dos terceirizados (cuidadores especiais) e falta de segurança”, enumera o presidente do Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (SINDIPEMA), Adelmo Menezes.

Ele mesmo explica que a Prefeitura de Aracaju já formou uma Comissão de Negociação para receber as categorias, mas até o momento nenhuma pauta foi atendida. “Chamaram os servidores um a um para dizer que não teremos reajuste salarial em 2018. Os professores mesmo não recebem o piso desde 2017. A prefeitura está descumprindo uma lei federal ao não pagar o nosso mínimo” ressalta o sindicalista.

As classes que estão reunidas e irão paralisar são: Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE), Sindicato dos Psicólogos do Estado de Sergipe (SINPSI) , Sindicato de Nutricionistas e Técnicos de Nutrição do Estado de Sergipe (SINDINUTRISE), Sindicato dos trabalhadores Fisioterapeutas de Aracaju (SINTRAFA), Sindicato dos Farmacêuticos de Sergipe (SINDIFARMA), Sindicato dos Agentes Comunitários e de Combate as Endemias de Aracaju (SACEMA), Sindicato dos Servidores do Detran de Sergipe (SINDATRAN), Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (SINDIPEMA), Sindicato dos Guardas Municipais de Aracaju (SIGMA), Sindicato dos educadores Sociais (SINTS/SE), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Federação dos Servidores Público Municipais do Estado de Sergipe (FETAM).

PMA

A Prefeitura de Aracaju enviou nota informando que está realizando um enorme esforço para promover o reconhecimento de direitos dos servidores municipais, que vinha sendo negado anteriormente. Durante a atual gestão, 30% dos servidores de diversas áreas já foram beneficiados diretamente com gratificações por Titulação, Avanço de Letra e Abono de Permanência.

A Prefeitura ressalta ainda que não pode deixar de levar em conta o planejamento estratégico e as imposições legais, já que a gestão recebeu a cidade em situação caótica, com salários atrasados, direitos negados e falta de investimento na estrutura municipal.

Para garantir avanços e o pagamento em dia dos servidores, foram realizados mutirões, reduções de custeios, centralização de compras e otimização da mão de obra, demonstrando o compromisso da administração com os seus servidores. As medidas adotadas na cidade são, inclusive, referência para diversos administradores e alcançam reconhecimento nacional, sendo considerada a 1ª capital do Nordeste e a 3ª no país que mais reduziu despesas pela mídia nacional.

por Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais