IFS apresenta 11 projetos que auxiliam no combate à Covid-19

0
Foto: Arquivo Infonet

O Instituto Federal de Sergipe (IFS) se soma às diversas instituições públicas de ensino, pesquisa e extensão do país que têm empreendido esforços e recursos na luta contra a disseminação da Covid-19. Entre as iniciativas está o edital nº 02/2020 (Propex/IFS) que destina R$ 325 mil a 11 projetos para entregar produtos que contribuam diretamente ao enfrentamento do atual quadro de emergência de saúde pública, como máscaras, aventais, rodos de esterilização por lâmpadas de UVC, além de produtos como álcool em gel, sabonete líquido e solução sanitizante.

A proposta do edital surgiu diante das iniciativas voluntárias de diversos servidores que já vinham desenvolvendo produtos em parceria com instituições privadas, bem como das propostas de vários outros professores e técnicos que queriam ajudar com seus conhecimentos e mão de obra, mas não contavam com recursos para as matérias-primas. Esses fatores, somados aos relatos de escassez de material básico para equipamentos de proteção individual (EPI) e outros insumos na rede pública de saúde, motivaram os investimentos feitos do IFS.

Na análise da reitora Ruth Sales, o instituto está colaborando para superar esse momento tão crítico com o que possui de melhor: o conhecimento técnico e científico de seus servidores. “Possuímos um quadro de professores e técnicos com altas qualificações. Muitos são especialistas, mestres e doutores, que possuem a expertise em áreas que podem colaborar diretamente no combate à proliferação dessa doença. E ficamos muito satisfeitos em perceber o interesse deles em se voluntariar na produção de materiais que farão a diferença para muitas pessoas”, ressaltou a reitora.

Funcionamento

Cada um dos 11 projetos recebeu recursos que variam de R$ 9 mil a R$ 50 mil, destinados exclusivamente à compra de matéria-prima para confeccionar produtos que possibilitem a proteção e desinfecção contra a doença. Quanto aos equipamentos e outros fatores, como local de produção, custos de energia e mão de obra, serão utilizados os recursos da própria instituição e o trabalho voluntário dos servidores, que não receberão bolsas ou outros retornos financeiros. As linhas de produção já começaram e estão a todo vapor.

Inicialmente a proposta era investir o montante de R$ 300 mil em seis projetos, mas o edital foi reformulado diante da grande procura por parte da comunidade acadêmica. “Surgiram 11 propostas válidas e, diante da importância de cada uma delas, o IFS resolveu contemplar todas e alocar mais recursos para tanto. A expectativa é que a gente tenha como ajudar uma parcela grande da população e fazer um pouco da nossa parte enquanto instituição de ciência e tecnologia”, relata a pró-reitora de Pesquisa e Extensão, Chirlaine Cristine.

Projetos

As propostas que receberam recursos vão de equipamentos de proteção individual (como máscaras, escudos faciais e aventais) a materiais de higiene pessoal (como sabonete líquido) e desinfecção de ambientes (álcool, solução sanitizante e outros). Entre os projetos está o de produção de um rodo de higienização de ambientes diferenciado: ao invés de uma borracha, sua base contém uma lâmpada do tipo UVC (ultra violeta tipo C).

De acordo com o professor de Física do IFS – Campus Aracaju, Adeilson Pessoa de Melo, autor do projeto de rodos UVC, há diversos estudos que comprovam a eficácia do uso da radiação ultravioleta tipo C na esterilização de ambientes contra vírus. ?É um tipo de radiação que não é produzida na natureza, apenas fabricada. Além desse tipo de aplicação, dá para usar essas lâmpadas diretamente em ambientes e diversas outras formas. Fico muito satisfeito em poder auxiliar a população nesse momento juntamente com uma equipe formada por mais três integrantes e em parceria com professoras da UFS?, comemora o pesquisador.

Outra iniciativa que está em pleno funcionamento no IFS é o projeto de produção de aventais de proteção, de autoria da professora de Física, Bruna da Costa Andrade, e coautoria do professor de Informática, Marlos Tácio Silva, ambos do Campus Lagarto. A ideia inicial deles era produzir máscaras para doar a comunidades carentes, mas aproveitaram o edital e seus recursos para diversificar a produção.

“Juntamente com a Propex surgiu o plano da confecção de aventais, uma vez que em vários meios de comunicação fica claro a falta de tal material. Os aventais serão confeccionados em tecido (TNT) gramatura 40 g/m2 e 80 g/m2, não impermeáveis, com manga longa para servir como equipamento de proteção individual para os profissionais da saúde (médicos, enfermeiros e fisioterapeutas)”, explica Bruna da Costa, que aproveita para parabenizar o IFS pelo incentivo, já que muitos servidores queriam ajudar, mas esbarravam na falta de material. Assim, o apoio foi essencial.

Como receber

A partir do dia 30 de abril, o material produzido estará à disposição de instituições públicas hospitalares, além de qualquer Organização Não Governamental (ONG) ou organização sem fins lucrativos que necessite. A prioridade é o serviço público, mas os hospitais privados podem vir a receber caso ocorra sobra na produção. Os interessados devem enviar um e-mail para propex@ifs.edu.br com os principais dados institucionais, bem como a justificativa da necessidade do material, o tipo e a quantidade demandada.

Estão disponíveis para essas instituições os seguintes materiais: escudos faciais de proteção individual; máscaras de tecido; peças de reposição (respiradores) e outros itens; rodo com lâmpada UVC (radiação ultravioleta tipo C) para esterilização de ambientes; solução sanitizante; máscaras; álcool 70% (álcool líquido e em gel); sabonete líquido antisséptico; e aventais.

Fonte: Ascom/IFS

Comentários