IFS promove cursos de extensão para a comunidade

0
Iniciativas são dos campi Estância e Tobias Barreto com o objetivo de atender público interno e externo (Foto: Freepik)

Capacitar-se é preciso! E é sob este viés que o Instituto Federal de Sergipe (IFS) promove cursos de extensão em variadas áreas de conhecimento para a comunidade interna e externa. A primeira oportunidade trata-se de uma parceria entre o IFS – Campus Tobias Barreto e o Instituto Federal do Amapá (IFAP). Docentes das duas instituições oferecem cursos de: Introdução ao projeto Experimental, Introdução à Pesquisa Aplicada e Plano de Comunicação para Mobile Marketing.

A segunda iniciativa é do Campus Estância, que realizará um curso de Iniciação em Orçamento 5D. As ações visam ultrapassar os muros institucionais, no intuito de divulgar conhecimento e buscar a oferta gratuita de capacitações.

Segundo a professora do Campus Tobias Barreto, Cleide Ane Barbosa, a parceria entre IFS e IFAP veio a partir de um convite do professor Lúcio Dias, do Grupo de Pesquisa de Gestão, Comunicação e Inovação Tecnológica, com ênfase em comunidades tradicionais da Amazônia (GesComIT/Amazônia). “Desenvolvemos três projetos de extensão que levam o mesmo título dos cursos. Eu e a professora Raquel Nominato, também do IFS, fomos convidadas a fazer parte desse grupo e trabalhamos junto com Lúcio na formação desses cursos. Contamos ainda com a participação de professores da rede municipal de Salvador”, diz Cleide.

As inscrições estão abertas até o final deste ano e podem ser realizadas através do site:  mooc.ifap.edu.br. Os cursos são flexíveis, de curta duração, com carga horária de 20 horas. As inscrições são gratuitas e abertas ao público, a partir de 14 anos de idade. Não há limite de vagas ou processo seletivo e, ao final do curso, o aluno poderá emitir um certificado digital.

“Os cursos de Introdução ao Projeto Experimental e Introdução à Pesquisa Aplicada são importantes para quem vai desenvolver uma pesquisa, construir um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) ou artigo, permitindo que o aluno desenvolva seu projeto e conheça suas etapas. Já o curso de Mobile Marketing pode ser utilizado no mercado para melhoria da imagem de uma empresa e na expansão de negócios, através do marketing”, explica a professora.

Iniciação em Orçamento 5D

Você já ouviu falar em Orçamento 5D? Através de uma ação extensionista dos professores do Campus Estância, Anna Cristina Araújo e José Carlos Anunciação, será realizado um curso com esta temática. Trata-se de uma metodologia nova em orçamentação em Building Information Modelling (BIM), que significa: Modelo da Informação da Construção, em que o aluno aprenderá, através de um software on-line.

No curso, o estudante verá a apresentação do projeto com a modelagem de todos os detalhes de um projeto arquitetônico de uma residência unifamiliar. Após, será elaborado o orçamento do projeto no software OrçaFascio, um programa que também utiliza orçamento 5D para a composição do preço da arquitetura da residência, em que o aluno verá todo o processo de quantificação e de atribuição de valores.

A ação terá início em 31 de agosto e será realizada através do Google Meet e por meio de videoaulas, que posteriormente serão lançadas no YouTube. “A procura foi alta e as inscrições já foram encerradas. Conseguimos comprar poucas licenças, devido ao seu alto valor, mas elas têm duração de um ano, por isso, em breve, abriremos novas vagas” ressalta Anna, que ministrará o curso ao lado das alunas do 9º período de Engenharia Civil: Natália Ramos e Marina Silveira.

O curso tem como público-alvo profissionais e estudantes da área de Construção Civil e cada participante receberá um certificado de 40 horas. “Ele é importante, pois atualiza essas pessoas na área de orçamento de obras, haja vista a existência de um planejamento do Governo Federal na disseminação do BIM. Através do Decreto 10.306/2020, o governo estabelece a utilização do BIM a partir de 2021 de forma gradual até 2028, desde o desenvolvimento de projetos de construções novas ou de reformas, até a execução, gerenciamento e manutenção pós-obra de projetos de Arquitetura e Engenharia”, justifica a docente.

Fonte: IFS

Comentários