Imposto de Renda: especialista comenta dedução de gastos com educação

0
Cursos de idioma, ballet e pré-vestibular não entram na dedução (Foto: Pixabay)

Chegou aquele momentos que muitos brasileiros ficam com dúvidas: a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física. O prazo, que começou no último 07 de março, segue até 30 de abril. É obrigatório prestar contas com o leão quem, em 2018, tenha recebido acima de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis ou mais que R$ 40 mil em rendimentos isentos. Mas, e os gastos com a educação? Despesas com material escolar e livros são consideradas?.

De acordo com o contador André Brito Santos, gastos com material escolar, matrículas ou cursos extras sempre pintam na hora da declaração. “As pessoas, geralmente, querem saber se podem abater cursos de idioma, ballet e cursinho pré-vestibular. A legislação não permite”, frisou o especialista. Segundo ele, é permitida a dedução de despesas que vão desde a creche até o ensino superior. Os cursos que e as instituições de ensino precisam ser cadastrados no Ministério da Educação (MEC).

No entanto, há um limite na dedução com gastos provenientes da educação. “Se a pessoa paga R$600 reais de mensalidade da escola do filho, em doze meses, ela vai pagar R$7.200, mas só vai poder declarar até 3.561,50”, explica o especialista. Brito também informou que despesas com saúde não têm limite de dedução. “Seja qual for o gasto, será possível abater”, reitera.

Para facilitar, o contribuinte ainda tem à disposição três alternativas para fazer a declaração. “A primeira, é por meio do Programa disponível para download no site da Receita Federal. A outra é preenchendo a declaração direito no site e por fim, é possível optar pela declaração pré-pronta, mas esse alternativa necessita de certificado digital”, assegurou o contador.

Agência Educa Mais Brasil

 

Comentários