Professores da rede municipal voltam a realizar paralisação e vigília

Ato ocorre hoje e amanhã (Foto: Sindipema)

Seguindo a agenda de manifestação em prol do pagamento do piso da categoria, professores ligados ao Sindicato dos Professores do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema) estabeleceram um novo cronograma de mobilização. O primeiro movimento foi marcado por uma manifestação na manhã desta terça-feira, 30, na praça General Valadão, centro da capital.

Segundo a categoria, professoras e professores da rede municipal de Aracaju também decidiram paralisar suas atividades nesta terça, 3o, e quarta-feira, 31. Além disso, ficou acordada a realização de uma vigília em frente a sede administrativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) nesta quarta-feira, 31.

O Sindicato afirma que o objetivo principal é reivindicar a aplicação da lei do piso na carreira, ou seja, atualizar os salários de acordo com o percentual de 14,95%, estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC), para professores da ativa e aposentados. “O magistério entra em paralisação devido à conduta desrespeitosa do governo municipal de Aracaju em não cumprir o que havia sido acordado em mesa de negociação”, salienta.

Ainda de acordo com o Sindicato dos Professores de Aracaju, ao contrário do que foi prometido, o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) não apresentou nenhuma proposta quanto ao cumprimento da Lei Federal 11.738/2008, que determina o pagamento do piso salarial na carreira do magistério da rede pública.

Semed

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que as negociações com o Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju não foram encerradas e permanecem em vigor. “Diante disso, a Semed comunicou aos gestores escolares nesta segunda-feira, 29, a decisão de manter as escolas abertas e em funcionamento nos dias 30 e 31 de maio, não podendo ser impedidos de acessá-las os profissionais do magistério que assim desejem, bem como os estudantes que nestes dias dirijam-se às unidades escolares para as atividades pedagógicas”, diz a pasta da Educação.

Ainda segundo o comunicado, a Semed diz reforçar que “nenhum professor da rede recebe menos que o piso nacional do magistério, que é de R$ 4.420,55. Em Aracaju, o menor valor pago a este profissional é de R$5,139,39”, finaliza.

por João Paulo Schneider 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais