Seminário celebra o Centenário de Paulo Freire dias 16 e 17

0
O seminário é voltado para profissionais da educação, estudantes e sociedade. (Foto: Instituto Freire)

Centro Universitário Maurício de Nassau, em Aracaju, estará realizando nos próximos dias 16 e 17, o seminário on-line, “Celebração ao Centenário de Paulo Freire”. O evento, organizado pelo curso de Pedagogia da Instituição, tem por objetivo compreender a relação existente entre o pensamento de Freire com relação à educação popular e as relações étnico-raciais. O seminário é voltado para profissionais da educação, estudantes e sociedade. As inscrições estão abertas e devem ser realizadas pelo site extensao.uninassau.edu.br até o próximo dia 16.

A professora do curso de Pedagogia da UNINASSAU, Analice Alves Marinho Santos, explica que o Seminário pretende  associar a figura de Paulo Freire ao início da Educação Popular no Brasil. “É importante viabilizar a reflexão sobre quem são os sujeitos “à margem” do sistema educacional. Para Freire, no processo educativo é importante valorizar o saber desses povos e promover uma inclusão dos mesmos através do conhecimento do povo e com o povo”, ressalta a professora.

Analice atenta que Paulo Freire foi o grande idealizador de uma educação que proporciona a conscientização e libertação do oprimido, tornando-o, protagonista de sua própria história e autor da transformação e emancipação social. “Esse tema é de grande relevância para a educação e o seminário pretende abrir esse debate para que, não só a comunidade acadêmica, mas toda a sociedade, possam refletir a respeito dos processos sociais defendidos por Freire”, diz a educadora.

O sociólogo e professor da UNINASSAU, Eder Claudio Malta Souza, observa que para Freire, os futuros educadores devem dedicar o seu tempo na universidade, para preparar e consolidar, um modo adequado e consistente para o exercício do magistério. O educador ainda que deve manter o foco na realidade dos alunos, suas trajetórias de vida e expressões culturais e étnico-raciais distintas, o que implica em reconhecer a necessidade de uma educação plural e democrática”, afirma Eder.

Ele diz ainda que o professor deverá ter respeito aos direitos dos alunos valorizando sua presença e permanência na escola, assim como deverá conscientizar a comunidade escolar sobre qualquer tipo de preconceito étnico-racial ou de pobreza. Estamos falando da educação em torno das questões Étnico-Raciais, da Educação de Jovens e Adultos, da Educação em Direitos Humanos etc.”, ressalta.

Programação 

*As palestras serão mediadas pelos professores da UNINASSAU, Analice Alves Marinho Santos e Eder Claudio Malta Souza.

16/09 

*A professora de Ciências Sociais da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Maraneane Passos da Silva, falará sobre “Direitos Humanos, Valorização da Diversidade, Relações Étnico-Raciais e Educação Popular”.

*O professor do Instituto Federal de Sergipe Acácio Nascimento Figueiredo, ministrará palestra sobre “As múltiplas dimensões da prática educativa freireana”.

17/09 

*A professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Sergipe-UFS, Joelma Carvalho Vilar, estará falando sobre “O legado de Paulo Freire para a Educação Nacional”.

*O pesquisador Dr. José Douglas Alves dos Santos, da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, falará sobre “Memórias de um bom velhinho: Paulo Freire e a Pedagogia do Exemplo”.

Fonte: Ascom/Uninassau

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais