Servidores da UFS estão com 50% de funcionários em atividade

0

O Sindicato realizará uma nova assembleia na próxima semana (Foto: Portal Infonet)

Após a decisão dos técnicos administrativos da Universidade Federal de Sergipe pelo retorno às atividades grevistas definida em assembleia realizada na última terça-feira, 13, alguns setores da Instituição estão com 50% dos funcionários em atividades nos setores da UFS, a exemplo do restaurante universitário (Resun), biblioteca central, além de laboratórios e departamentos da Universidade.

Atualmente, a UFS conta com 1.168 técnicos administrativos efetivos, sendo que desse total, 50% dos servidores estão em atividades após a decisão de liminar expedida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Sergipe (Sintufs), Edjanária Borges, informa que a greve dos funcionários é em todos os setores da Instituição.  “Mesmo com a greve os alunos não são afetados, pois os serviços essenciais foram reduzidos, mas não na sua totalidade. A luta é pelo reajuste salarial que não teremos mais esse ano, já que para 2012 o orçamento já foi fechado”, diz.

HU

A presidente do Sintufs Edjanária Borges diz que a Categoria luta contra a MP 520

O retorno à greve também se estende aos servidores do Hospital Universitário, que está com 50% dos técnicos paralisados. A categoria ainda está apreensiva quanto ao projeto do Governo Federal que defende a privatização dos hospitais universitários. A Medida Provisória 520 autoriza o Poder Executivo a criar a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que vem privatizar os Hospitais Universitários (HU), segundo afirma a representante do Sindicato.

“Se o projeto for aprovado, todos serão prejudicados. O atendimento aos usuários, a desvalorização dos trabalhadores e o comprometimento da qualificação profissional dos estudantes da área de saúde. O Sintufs está lutando contra esse projeto e não podemos deixar que isso aconteça”, diz Edjanaria.

Avanços

Em 2007 foi feito um acordo entre a Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubras), onde os servidores receberam um reajuste salarial em torno de 16,49% que valeu para os anos de 2008, 2009 e 2010, mas para esse ano não existe nada de concreto a ser discutido.

Reivindicações

O Sindicato luta pelo reajuste salarial emergencial (inclusão de recursos no orçamento 2011/2012 para reajuste salarial com piso de três salários mínimos e step de 5%). “A categoria não receberá mais esse reajuste, porque o orçamento já fechou, mas continuaremos lutando para não passar de 2013”, diz a representante do Sintufs.

O sindicato reivindica ainda isonomia salarial e de benefícios, a começar pelo executivo por ser o menor salário do funcionalismo público e melhores condições de trabalho.

Uma nova assembléia geral dos técnicos administrativos da UFS está prevista para acontecer na próxima semana.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais