Atraso do Bolsa Atleta prejudica esportistas

0
Garcez Freitas: endividado (Foto: CBDU)

O Programa Bolsa Atleta, ação da Prefeitura de Aracaju para ajudar esportistas de alto rendimento em seus custos, se transformou na principal dor de cabeça de seus 67 contemplados. Iniciado em abril com previsão de oito parcelas, o benefício deste ano só foi pago no mês em que foi lançado e está atrasado há quatro meses. Prejudicados, os atletas têm se endividado para conseguir competir. Já a Secretaria de Juventude e Esporte da Prefeitura promete regularizar tudo no fim de outubro.

Os valores que deveriam ser distribuídos são divididos em duas categorias: atletas de nível 1 ganhariam R$ 1000 por mês, e de nível 2, R$ 450. A quantia geralmente é usada pelos atletas em passagens aéreas, inscrições, suplementos e material esportivo – e a ausência de quatro meses começa a prejudicar o planejamento anual dos esportistas. Representante de Sergipe no último Troféu Brasil de atletismo, Garcez Freitas vem tirando do próprio bolso para competir fora do estado.

“Comprei passagem em cartões de amigos para ir ao último Sul-americano na Argentina, no qual fui terceiro lugar e tirei do meu bolso para ir ao Troféu Brasil. Ficar sem recursos é desmotivante. Treinamos sem foco porque não temos ajuda de custo, e ficar sem nenhuma perspectiva de receber é frustrante”.

Maria Gilda: gestão sem planejamento (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Garcez explica que a Secretaria tem feito promessas, mas nada foi feito ainda. “Já vai fazer cinco meses e não recebemos nada. Todo fim do mês eles dizem que vamos receber tudo. Estou endividado, com cartão estourado, vou a outra competição daqui a duas semanas e estou pegando dinheiro emprestado de novo”. Presença constante em campeonatos nacionais de parabadminton, a paratleta Maria Gilda teve de pedir dinheiro emprestado para ir aos dois últimos – e desconfia que o dinheiro do benefício tem sido desviado de seu fim original.

“Isso é falta de compromisso com os atletas e com todas as pessoas que dependem desse dinheiro. Qualquer gestão pública, seja qual for, tem que ter planejamento. Essa verba vem desde o início do ano e não pode ser desviada para outras coisas”. Indignada com o atraso, a paratleta pede ajuda. “É muito fácil falar bonito, agradecer, mas só nós sabemos do nosso trabalho árduo. Tenho muita honra de representar meu estado, mas me ajudem a fazer isso”.

SEJESP
Secretário da Juventude e do Esporte da Prefeitura de Aracaju, Carlos Eloy comentou a situação. De acordo com ele, os pagamentos devem voltar a ser regularizados a partir do fim de outubro – e serão feitos integralmente. Ainda de acordo com ele, o atraso do Bolsa Atleta é consequência da crise econômica.

Carlos Eloy: pagamentos devem ser no fim de outubro (Foto: Arquivo Portal Infonet)

“Todo mundo sabe da situação pela qual o país passa, e estamos com dificuldade de honrar com o programa. Mas o Governo Federal deve nove meses. Mesmo assim, nesta gestão, foram mais de R$ 2 milhões investidos em quase quatro anos de patrocínio a esses atletas. Entendemos que isso vai passar. Vamos cumprir e honrar”.

Eloy também negou que a verba tenha sido desviada para outras despesas da prefeitura. “Alguns atletas não sabem separar o que é dinheiro de convênio e o que é dinheiro do Tesouro. O Bolsa Atleta é pago com a conta 00, da Prefeitura de Aracaju. Não há convênio, não há repasse, nada. Tiramos dos cofres da Prefeitura e damos aos atletas. Mas todos sabem como está a situação dos estados e dos municípios. Estamos com dificuldades em vários setores, e o esporte não fugiria disso”.

O gestor também pediu paciência aos atletas. “Imagine como uma empresa privada que queira patrocinar esses atletas irá vê-los ao criticarem o Programa. Temos que ter um pouco de reflexão. Hoje temos atletas de nível internacional como Vinícius Gomes e Duda Lisboa que tiveram o Bolsa Atleta como fator primordial do crescimento. Esperamos que a economia melhore e possamos manter esse programa que é referência nacional”.

Por Igor Matheus

Comentários