CBF muda regulamento da série C do Brasileirão

0

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou a nova forma da disputa da terceira divisão do Campeonato Brasileiro em 2009 que terá o Confiança representando o estado de Sergipe. Os 20 clubes participantes serão divididos em quatro grupos de cinco e não em dois de dez como estava determinado. A série C começa no dia 24 de maio e termina em 22 de novembro.

Os times farão jogos de ida e volta com todos os adversários da chave. Avançam para as quartas de final os dois melhores de cada grupo iniciando a fase popularmente conhecida como “mata-mata”. Os quatro vencedores nesta etapa automaticamente ganham o acesso á segunda divisão erm 2010, mas a disputa prossegue até o jogo final quando uma equipe irá se consagrar campeã. Já o último colocado de cada chave será rebaixado à série D.

Grupos

Veja como foram separados os times:

GRUPO A:  Rio Branco (AC), Sampaio Corrêa (MA), Luverdense (MT), Águia (PA) e Paysandu (PA)

GRUPO B: ASA (AL), CRB (AL), Confiança (SE), Icasa (CE) e Salgueiro (PE)

GRUPO C: Gama (DF), América (MG), Mixto (MT), Ituiutaba (MG) e Guaratinguetá (SP)

GRUPO D: Marília (SP), Marcílio Dias (SC), Criciúma (SC), Brasil (RS) e Caxias (RS)

Série D

Mudanças também na dinâmica de competição da recém-criada quarta divisão do Brasileirão. Agora serão 10 grupos com quatro times cada, e não oito com cinco times como antes. Assim como na série C, dois clubes de cada chave avançam na competição após jogos de ida e volta. Os quatro melhores disputarão a terceira divisão em 2010.

Todos os estados terão pelo menos um clube entre as 60 equipes que estarão na disputa, mas só serão conhecidos após o término dos campeonatos estaduais. Em Sergipe, caso o Confiança seja o vencedor do Sergipão, o segundo colocado representará o estado na série D.

A crise econômica no futebol

Segundo a CBF, a forma de disputa das séries C e D do Campeonato Brasileiro anunciada em outubro de 2008 foi alterada devido à crise econômica. A duração das competições foi encurtada e a menor quantidade de jogos na primeira fase proporcionará uma despesa bem menor às diretorias dos times.

Por Glauco Vinícius e Valter Lima, com informações da CBF

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais