Confiança na zona de rebaixamento

0

Raniel de Jesus
O comentário da semana que passou chamou a atenção das grandes equipes do futebol sergipano quanto à fórmula de disputa do atual campeonato. Apesar de haver jogos de ida e volta, a competição por pontos corridos tende a favorecer quem larga na frente. Recuperar-se no decorrer dos jogos torna-se uma tarefa mais difícil, comparando com modelos que apresentam turnos, quadrangulares e hexagonais como aconteceram por aqui nos últimos anos. Claro que enquanto houver possibilidades matemáticas tudo é possível, ainda mais se falando em futebol.

 

Insisto neste assunto por temer que aconteça aqui o que hoje é fato no futebol alagoano. O CSA, uma das principais equipes daquela praça foi rebaixada para segundona há dois anos e até então não conseguiu retornar a primeira divisão, tirando o brilho e o valor do campeonato local. Pra quem não lembra, em nosso futebol, tanto Itabaiana quanto Lagartense já tiveram este dissabor, e não foi nada bom. Em 98 o Confiança andou na pendura, cai mais não cai, e novamente o “Dragão” na mira da degola, com a derrota do último domingo para o Riachuelo em pleno Batistão, o time se encontra na zona de rebaixamento, ou seja, se o campeonato terminasse hoje, o Confiança estaria na segunda divisão. Comenta-se que novidades surgirão no decorrer da semana, novas contratações devem acontecer, fala-se em Jailton ex-Sergipe e no zagueiro Marcos Teles, velho conhecido da torcida proletária, outro que deve voltar a vestir a camisa azulina é o lateral Ney que após cumprir suspensão ainda da última temporada, já se encontra a disposição da comissão técnica, na verdade são três grandes valores, resta saber se os fatores extra-campo estão sendo resolvidos.

 

Vale a pena ressaltar que, enquanto a torcida do Confiança lamenta, o campeonato ganha uma nova conotação com as belas campanhas de Guarani, Olímpico e Boca Júnior. O último tem sido uma grata revelação em termos de competência e organização, transformando estas qualidades em resultados dentro de campo, defendendo hoje a liderança do Sergipão 2005. Achando pouco, o Boca ainda tem de “quebra” o maior goleador do campeonato até agora. Márcio Carioca com nove gols em cinco partidas e uma bela média de 1,8 gols por jogo lidera a corrida dos artilheiros.

 

 

Por: Raniel de Jesus Pereira

 

 

 
 
 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais