Federação Aquática faz manifesto por volta da natação com protocolos

0
Competições estão suspensas em razão do coronavírus (Foto: Portal Infonet)

Com o calendário do primeiro semestre cancelado e os eventos do segundo semestre ainda indefinidos, a Federação Aquática de Sergipe (FASE) levantou um manifesto, nesta quinta-feira, 6, pela volta da atividade no estado. No entendimento do presidente da Federação, Antonio Aragão, é possível retomar a natação seguindo protocolo elaborado pela Confederação Brasileiras de Desportos Aquáticos (CBDA), que mantém distanciamento entre os atletas e atenua os riscos de contágio da Covid-19 entre os envolvidos com o esporte.

A bandeira pela volta da natação já ganha o apoio de alguns professores, atletas e pais nas redes sociais. Segundo Antonio, a natação é um esporte individual e o atleta, para retornar aos trenos, não necessita ter proximidade com outras pessoas. “O treino é individualizado. Os atletas não ficam aglomerados e o protocolo prevê distanciamento tanto fora quanto dentro da piscina, além de tapetes sinalizadores sobre esse distanciamento. A liberação por raias também é controlada, ou seja, a natação já poderia ter voltado”, explica.

O dirigente entende que a permanência da proibição do retorno aos treinos tem prejuízos sem precedentes para a modalidade, já que a preparação de um atleta é feita em ciclos. “Pode ter certeza que quando voltar a natação, vai ser observada uma queda de rendimento absurda. Esses atletas nunca ficaram tanto tempo parados, quase chegando a cinco meses atualmente. A preparação de um nadador é feita em ciclos e os treinadores levam um longo tempo nesse trabalho. Então prejudica bastante”, analisa Antonio.

A FASE tem defendido o retorno aos treinos dos atletas seguindo protocolos semelhantes a outros estados que já retornaram a modalidade, alguns que tiveram situação mais crítica que a de Sergipe, como Pernambuco, Amazonas e Bahia.

Até o momento, apenas uma etapa do Estadual de Natação foi realizada em Sergipe, antes da crise sanitária. Além da indefinição sobre a data de liberação, o esporte vive um momento de apreensão sobre o retorno dos atletas, já que a atividade gera custos para os pais, e a crise de saúde também teve impactos financeiros grandes para muitas famílias.

Questionado pela nossa reportagem, o Governo do Estado informou que as atividades esportivas estão enquadradas em ‘Atividades Especiais’, no plano de retomada econômica, e cada caso vem sendo analisado de forma individual. O Governo não estipulou prazo para apontar um retorno da modalidade, mas disse que está aberto a receber sugestões de medidas e protocolos para o eventual retorno, através de contato ou ofício à Secretaria Geral de Governo, para que seja discutido com a Secretaria de Saúde e autoridades sanitárias.

Por Ícaro Novaes

Comentários