Olimpíadas: Técnicos comentam jogos da primeira rodada

0
Raul Gutierrez (Fotos: Igor Matheus/ Portal Infonet)

Quatro seleções, dois jogos, doze gols e muita falação. Depois das partidas, os técnicos de México, Alemanha, Fiji e Coreia do Sul deram suas impressões acerca dos confrontos realizados na Arena Fonte Nova nesta quinta-feira, 4.

O primeiro foi o mexicano Raul Gutierrez. Para o comandante do México, o time poderia ter saído com a vitória contra a Alemanha. “As partidas de abertura são sempre difíceis. Poderíamos até ter vencido. Mas agora o que precisamos é analisar todos os detalhes e ver no que temos que melhorar”.

Gutierrez também explicou que tirou o astro Peralta devido ao cansaço do atleta; que mandou Lozano para o banco por questões táticas e ainda mandou uma pílula de sabedoria sobre suas substituições. “Primeiro fazemos mudanças para evitarmos perder, e depois as fazemos para tentarmos melhorar”.

Horst Hrubesch, técnico da Alemanha

Já Horst Hrubesch, técnico da Alemanha, falou sobre seu próximo adversário. “Não podemos esquecer que temos dezoito jogadores sob pressão. Acho que a Coreia fará uma boa partida, pois tem bons jogadores. Assim como o México. E assim como a própria Alemanha”, disse. O treinador também comentou a correria de jogar três dias após a primeira partida. “Já estou acostumado”, disse.

FIJI x COREIA
Poucos minutos após ser triturado pela Coreia do Sul por 8 a 0, o técnico de Fiji, Frank Farina, destacou que o momento é de aprendizado para o time da Oceania. “Nossos jogadores não estão acostumados a jogar esse nível de futebol, com times organizados que jogam táticas específicas. Na Oceania os times que enfrentamos são diferentes. É um aprendizado para o futebol de Fiji perceber que nível temos que alcançar se quisermos competir mundialmente. Temos que melhorar, o mínimo que seja. Quanto maior o nível do futebol e mais organizados os times, maior a ‘punição’ para quem erra”.

Yong Shin, técnico da Coréia do Sul

Já o técnico da Coreia, Yong Shin, ressaltou que o time venceu o nervosismo que o dominou na primeira etapa. “Como é o primeiro jogo, os jogadores podem ficar nervosos para começar. No intervalo eu disse para eles terem confiança nas jogadas e se movimentarem mais. E assisti extasiado como eles tiveram uma grande performance”. Shin ainda comentou sobre o placar elástico, um recorde para sua seleção. “Será uma motivação para mim e para o time. Agora teremos mais confiança para encarar a Alemanha, mas sabemos que não será um jogo fácil”.

Por Igor Matheus
De Salvador/BA 

Comentários