Sem mágoas: brasileiros torcem pra Alemanha no futebol

0
Os Sérgios: admiração que passou de pai pra filho (Fotos: Igor Matheus/ Portal Infonet)

Não é possível. Só pode ser brincadeira. É uma miragem. Em dia de jogo da Alemanha na Arena Fonte Nova, os brasileiros mais uma vez apareceram em peso. Mas desta vez não foi para  secar nossos eternos algozes. Com a escassez de alemães na torcida – não se viu nenhum entrar no estádio pelo menos a meia hora da partida contra a Coreia – , grande parte das camisas brancas com quatro estrelas no peito tinha mesmo um brasileiro dentro.

Parece que o desespero tupiniquim na Copa de 2014 cristalizou em admiração pelo futebol germânico. Foi o que aconteceu com o estudante Pedro Henrique. Durante o apocalíptico 7 a 1 na Copa, Pedro se apaixonou pelo futebol da Alemanha. Chegou a comprar duas camisas da tetracampeã – e até emprestou uma ao amigo Paulo Camilo para que ele prestigiasse o confronto contra a Coreia a caráter. “Gostei do jeito que eles jogam, muito ofensivo. Hoje o Brasil é só meu segundo time. Tenho até clube lá, o Bayern de Munique”, delira. Em possível reencontro entre Brasil e Alemanha nas olimpíadas, Pedro deseja que o raio caia no mesmo lugar. “7 a 1 pra Alemanha de novo”.

Pedro e Paulo: admiração recente

O caso do contador Sérgio Cruz é ligeiramente diferente. Vestido ainda com a versão três estrelas da camisa alemã, Sérgio é admirador da seleção teutônica desde a Copa de 74. “Desde a época de Beckenbauer. Quando ganharam a copa de 90, comemorei. Perdemos de 7 a 1 porque a Alemanha jogou muita bola. Mas naquele momento fui Brasil até o fim”, conta. A admiração passou de pai pra filho: Sérgio Filho pegou gosto pelos alemães após o 7 a 1, adquiriu a camisa recente da tetracampeã, mas avisa que ainda é brasileiro. “Torci pro Brasil no 7 a 1 e chorei muito depois do jogo. Mas aqui não tem ressentimento”.

Craig e família: o filho até pode usar a camisa. Já ele mesmo…

Essa síndrome de Estocolmo brasileira deixou até os gringos confusos. O britânico Craig Whitford , que foi ver a partida com a família – com o filho vestindo a camisa alemã -, não aceitou. “Então os brasileiros gostam dos alemães? Sério? Olha… Como inglês, não sei o que dizer. Eu deixo meu filho usar a camisa da Alemanha, mas acho que há muita história entre Inglaterra e Alemanha para que eu fizesse uma coisa assim”.

Por Igor Matheus
De Salvador/ BA

Comentários