Capitão Samuel alega uso de coletes balísticos vencidos

0

Capitão Samuel (PSL) ainda pretende elaborar relatório sobre situação das unidades se segurança de Sergipe (Foto: Portal Infonet)

O deputado estadual Capitão Samuel (PSL) denunciou nesta quarta-feira, 18, que grande parte dos coletes balísticos utilizados por policiais militares do Estado de Sergipe estão vencidos. Segundo o parlamentar, os materiais só poderiam estar sendo disponibilizados até o dia 16 de dezembro, o que se configura uma ação resultante da falta de planejamento do Governo de Sergipe.

“O descaso é evidente em função da compra não ter sido feita antecipadamente”, afirmou o deputado, destacando a realização de uma série de visitas às unidades de segurança pública de Sergipe desde o início do mês de dezembro. Segundo ele, oito unidades foram visitadas até o momento, sendo que em todas elas foram encontradas viaturas não licenciadas.

“A ação deve ser concluída no final do próximo mês de janeiro, atentando também para a falta de estrutura em unidades sergipanas, a exemplo da Delegacia de Muribeca, cuja situação, apontada, inclusive, para a falta de efetivo, poderá servir de conteúdo para uma solicitação junto ao Ministério Público Estadual – MPE/SE, com vistas à interdição”, garante Capitão Samuel.

O parlamentar ainda considera a elaboração de um grande relatório após a conclusão das visitas às unidades de segurança pública. “Iremos recorrer às autoridades competentes, entre elas, ao MPE/SE e à Defensoria Pública do Estado de Sergipe, a fim de entrar com Ação Civil Pública, cobrando do Governo de Sergipe melhorias e reparações”, assegura o Capitão, presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Coletes balísticos

A denúncia relacionada à utilização de coletes balísticos vencidos por parte dos policiais militares do Estado de Sergipe foi rebatida pelo capitão Charles, assessor de comunicação da PM/SE. Conforme parecer do assessor, uma quantidade de coletes está vencendo neste mês de dezembro, porém, a cada ano, um novo processo licitatório é iniciado para a compra de uma nova remessa desses materiais.

“A PM/SE não realiza compra de coletes de forma centralizada para evitar o vencimento em massa desses objetos, o que ocorre depois cinco anos após data de fabricação. Para suprir a quantidade vencida neste mês de dezembro, a PM/SE já realizou licitação e a empresa vencedora já estabeleceu prazos de entrega: uma realizada ainda este mês e outra no início de janeiro de 2014. A compra é feita com adicional de 10% para evitar imprevistos e os vencidos são devolvidos ao setor de almoxarifado para que seja dado um destino legal aos coletes”, descreveu o assessor.

Capitão Charles ainda assegura que em março de 2013, a PM/SE distribuiu 400 coletes que só irão vencer em 2018. Outras entregas foram realizadas em 2012 e em 2011. “Em virtude dessas ações, a informação de que policiais estariam usando coletes vencidos não procede”, concluiu o capitão.

Por Nubia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais