Carlos Ayres Britto diz ser um militante da Constituição

0

Ministro Carlos Ayres Britto/Foto: Arquivo Portal Infonet
“Eu me considero um militante da Constituição, aplicando-a com toda a imparcialidade, desagradando aqui, agradando acolá, mas isso é da contingência da profissão”. Foi o que afirmou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, durante solenidade comemorativa dos 40 anos do Tribunal de Contas de Sergipe (TCE), na manhã desta sexta-feira, 16.

Segundo Carlos Britto, a Constituição Brasileira o fez queimar a língua. “Eu dizia que uma árvore ruim não pode conceder bons frutos e acreditava que a Constituição iria legislar em causa própria, mas ela saiu melhor do que a encomenda. Percebi que é possível sim que a obra seja melhor do que o autor”, ressalta.

Comemorações lotaram o auditório do TCE
Em sua palestra sobre ‘Os Tribunais de Contas e a Constituição’, o ministro do STF disse ainda que a Constituição fez da democracia a menina dos seus olhos. “O nervo e o coração da Carta Magna é a democracia. Na linguagem bíblica, é o cântico dos cânticos”, destaca.

Medalha

Na ocasião, o presidente do Tribunal de Contas de Sergipe, conselheiro Reinaldo Moura homenageou várias personalidades com a medalha dos 40 anos do TCE. Entre os homenageados, o governador Marcelo Déda, o prefeito Edvaldo Nogueira, o deputado federal Albano Franco, o presidente da Câmara Municipal de Aracaju, Emmanuel Nascimento, o presidente da Assembléia Legislativa, Ulices Andrade, o arcebispo D. Palmeira Lessa, o secretário de Estado da infraestrutura, Walmor Barbosa e o presidente da OAB/SE, Carlos Augusto Monteiro Nascimento.

Ainda na solenidade, houve a exibição de um documentário sobre os 40 anos do TCE e o lançamento, por meio da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, do selo TCE-SE 40 anos, que passará a circular em todo o país nas correspondências do Tribunal de Contas.

Por Aldaci de Souza

Comentários