Caso Cláudio Miguel é levado ao ministro da Justiça

0

Encontro com o ministro José Eduardo (Foto: Divulgação)

No inicio desta noite, 29, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Sergipe, Carlos Augusto Monteiro Nascimento, esteve reunido em Brasília, com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para tratar, entre outras pautas, da prisão arbitrária sofrida pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SE, Cláudio Miguel Menezes de Oliveira.

Durante a reunião, o presidente também explanou a preocupação da Ordem com os últimos acontecimentos no âmbito da segurança pública no estado de Sergipe, como o assassinato do adolescente Jonatas, a precariedade do sistema penitenciário sergipano e o triplo assassinato no Hospital de Urgência (HUSE).

“São situações que deixam hoje a população com um sentimento de impunidade e insegurança”, afirmou Carlos Augusto. O presidente da OAB/SE contou com o apoio do presidente da OAB nacional, Ophir Cavalcante, e do vice-presidente do Conselho Federal, Alberto de Paula, que o acompanharam durante a audiência.

O ministro José Eduardo Cardozo, após ouvir atentamente o relato de todos os fatos, fez uma exposição sobre o nível de investimentos do Governo Federal para melhorar o sistema penitenciário sergipano, comprometendo-se a adotar as providências de acompanhamento paralelo às investigações dos demais casos notificados pela OAB/SE.

De acordo com dados apresentados pelo ministro da Justiça, ainda no ano de 2012, serão oferecidas mil novas vagas no sistema penitenciário. Estes investimentos totalizarão uma quantia superior a 20 milhões, que também abrangerão reformas em várias unidades prisionais e a construção de uma penitenciária no município de Estância.

Segundo Carlos Augusto o ministro foi muito sensível a todos os reclames da Ordem. “Saímos muito satisfeitos da reunião e com garantias que providências serão tomadas pelo ministro José Eduardo Cardozo, que já nos deu boas notícias sobre os investimentos que serão aplicados ainda este ano no sistema penitenciário sergipano. Deixamos com ele um dossiê completo, com matérias, fotos e vídeos sobre todas as nossas demandas”, adiantou o presidente da OAB/SE.

Fonte: Ascom OAB/SE

Comentários