Coronel Nailson Melo esclarece polêmica na Alese

0

Comandante do Corpo de Bombeiros se retirou de audiência (Foto: Divulgação Assessoria Parlamentar Capitão Samuel)

O comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Nailson Melo, enviou nota à imprensa esclarecendo o motivo de ter se retirado da audiência pública ocorrida nesta quarta-feira, 12, na Assembleia Legislativa. Na ocasião, estiveram reunidos a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, sob a presidência do deputado estadual Capitão Samuel (PSL), e a Cúpula da Segurança Pública do Estado, representada pelo secretário João Eloy, o secretário adjunto da SSP, João Batista; a superintendente da Polícia Civil, Catarina Feitosa; e o comandante da Polícia Militar, Coronel Maurício Iunes.

No trecho da nota, o Coronel esclarece que não faltou com respeito à assembleia e nem à audiência, que segundo ele, já estava encerrada. “No momento, estavam havendo discussões entre o Presidente da Comissão (Deputado Capitão Samuel Barreto) e um parlamentar da situação acerca de assuntos políticos. A minha participação e dos demais membros da Segurança Pública já tinham encerrado, e todas as perguntas já haviam sido respondidas, inclusive os Dep. Garibalde, Ana Lúcia e Conceição Vieira já haviam se ausentado da reunião, assim como os Deputados Zeca e Francisco Gualberto que também estavam presentes”, afirma.

O Coronel Nailson Melo também afirma que vem sendo caluniado pelo deputado Samuel Barreto. “Ele vem me caluniando sob o manto da imunidade parlamentar imputando fatos a mim enquanto Comandante Geral do CBMSE, sem apresentar quaisquer documentos me responsabilizando sob tais acusações, neste caso ocorreu que apenas pedi licença a todos dizendo que não tinha ido ali para ser agredido, que foi justamente o que o Senhor Deputado iniciou a fazer e pedi licença a todos”, esclarece.

Em outro trecho da nota, o Comandante diz que “recentemente, em função de vários fatos ocorridos, o deputado passou a me agredir dizendo que liberei Pré Caju e Forró-caju sem condições de segurança, só faltando dizer que liberei até a existência dele sem segurança, me chamando de fraco, de autoritário, dentre outros elogios, sem que para tanto eu tivesse o direito de me defender e de ser ouvido, tudo isso prolatado nos meios de comunicação. Hoje na reunião, o deputado veio novamente com as mesmas acusações e como ali, eu não teria direito também a me defender, me retirei”, detalha.

Ao fim da nota, o Coronel Nailson Melo alega que vem sendo perseguido pelo deputado Samuel Barreto desde as eleições de 2010 e se coloca à disposição de qualquer cidadão, órgão ou entidade para explicar qualquer ato do Corpo de Bombeiros enquanto na função de Comandante.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais