Déda define primeiro escalão do governo

0

Déda confirmou alguns nomes anunciou os que faltavam (Fotos: Portal infonet)
O governador Marcelo Déda apresentou na manhã desta segunda-feira, 10, toda a equipe de secretários que atuará no novo governo. Além de empossar os nomes já anunciados em 30 de dezembro ele apresentou aqueles que ocuparão novas secretarias. Alguns dos novos secretários, que ocupam mandatos de deputado estadual ou federal, só devem assumir o cargo no mês de fevereiro, quando acaba a legislatura.

Déda ressaltou que o primeiro escalão do governo deve ficar completo somente após a aprovação na Assembléia Legislativa do projeto de criação de novas pastas e a união de algumas. O número de secretarias deve aumentar de 18 para 26, incluídos os órgãos suplementares.

Secretários atuais tomam posse nesta segunda; os demais, em fevereiro
Entre as modificações estão a fusão das secretarias de Administração e Planejamento, que formarão a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão. A mudança é necessária, segundo Marcelo Déda, para que algumas atividade ganhem maior foco e tragam ganhos na gestão. “A escolha se deve a critérios técnicos, escolhas técnicas e políticas. O governo precisa viabilizar as políticas públicas do programa. Realizamos esses ajustes para obter maior eficácia e resultados das políticas públicas que desenvolvemos”, justificou.

A medida também se justifica, segundo o governador, por causa da contenção orçamentária resultante do contingenciamento dos recursos através do Governo Federal. “Precisamos nos adequar. Gerir com mais eficiência e economia”, disse.

Serão criadas as secretarias de Direitos Humanos e Promoção das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais; do Turismo; do Desenvolvimento Urbano, Saneamento Habitação e Transporte e a Secretaria Extraordinária de Políticas para as Mulheres. O governador anunciou, ainda, que será criada uma pasta ligada ao seu gabinete e que dará suporte ao planejamento e captação de recursos para novos projetos.

Confira abaixo quais são os secretários e as respectivas secretarias

Secretaria

Secretário

Secretaria de Estado de Governo

Francisco de Assis Dantas (PRB)

Secretaria de Estado da Casa Civil

Jorge Alberto Teles Prado (PMDB)

Planejamento e Gestão*

José de Oliveira Júnior (PT)

Fazenda

João Andrade Vieira da Silva

Educação

Beivaldo Chagas Silva (PSB)

Saúde

Antônio Carlos Guimarães Souza Pinto

Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social

Eliane Aquino (primeira-dama/PT)

Cultura

Eloísa Galdino (PT)

Trabalho e Juventude

Marcelo Freitas (PSC)

Segurança Pública

João Eloy de Menezes

Justiça

Benedito Figueiredo (PMDB)

Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia

Zeca Ramos da Silva (PSC)

Direitos Humanos e Promoção das Pessoas Portadoras de Deficiência*

Iran Barbosa (PT)

Extraordinária de Políticas para a Mulher*

Maria Teles (PT)

Agricultura e Desenvolvimento Agrário

José Macedo Sobral (PMDB)

Infraestrutura

Valmor Barbosa Bezerra

Turismo

Elber Batalha (PSB)

Comunicação

Carlos Cauê

Esporte e do Lazer

Maurício Pimentel (PSB)

Articulação Política e Relações Institucionais

João das Graças (PSC)

Desenvolvimento Urbano, Saneamento, Habitação e Transportes *

Antônio Sérgio Ferrari Vargas

Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos

Genival Nunes Silva (PT)

Procuradoria Geral do Estado

Márcio Leite de Rezende

Controladoria Geral do Estado

Adinelson Alves da Silva

Escritório de Representação de Sergipe

Pedro Marcos Lopes (PT)

Gabinete Militar

Cel. Carlos Augusto Lima Bispo

     *Novas secretarias

Com as mudanças nas secretarias algumas atividades devem permanecer nas pastas e outras

Elber Batalha assume a Secretaria de Estado do Turismo (Fotos: Marcos Rodrigues/ASN)
devem migrar. A Pronese, por exemplo, sai da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) e passa a ser da Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Agrário. A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) estará sob responsabilidade da nova Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, Saneamento, Habitação e Transportes, que, conforme explicou o governador, é equivalente ao Ministério das Cidades.

Na Secretaria de Turismo, que será recriada, o nome anunciado em dezembro era o de Paulo Viana, que era o superintendente da Companhia do Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf). No entanto, Déda anunciou que houve uma modificação e a pasta passa a ser do vereador Elber Batalha (PSB). Viana irá para a Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur).

A retomada da pasta de Turismo atende a uma reivindicação do Trade Turístico so Estado, com o apoio do Senador Valadares (PSB). “Além de termos dados incontestáveis que confirmam a necessidade dessa secretaria, o evento Copa do Mundo vai mudar radicalmente o setor no país. Eu

Iran Barbosa, deputado federal, assume nova secretaria
cheguei a relutar, mas agora vemos a necessidade de retomá-la”, confirmou Déda.

Quando anunciado como secretário de Direitos Humanos e Promoção das Pessoas Portadoras de Deficiência, o deputado federal Iran Barbosa (PT) foi o mais aplaudido no auditório, que esteve lotado de autoridades políticas. O governador completou dizendo que haverá uma subsecretaria de Relações Sindicais e Movimentos Sociais, com o objetivo de presidir e organizar as negociações com os servidores públicos. A Secretaria Extraordinária de Políticas para a Mulher, segundo Déda, atende a uma antiga reivindicação.

Instruções

Após a solenidade Déda se reuniu com os novos e os atuais secretários para as orientações acerca do processo de transição e das diretrizes das políticas públicas. Ele explicou que a linha de governo será unificada e que a administração das pastas deve ser articulada. “Não seguiremos tendências diferenciadas. A condução é do governador. Os secretários se subordinam ao governo, independente de partidos políticos”, explicou. Ele recomendou que os secretários leiam o programa de governo e os discursos de posse do governador em 2007 e o deste ano.

O governador disse que até que haja uma melhora orçamentária as metas continuarão sendo a redução no custeio e gerenciamento eficaz. “As obras em execução serão continuadas. O fundamental, agora, é entregar as obras que estão em andamento. A partir disso, nós vamos pensar em novos projetos. Vamos administrar com racionalidade”, avisou.

Por Diógenes de Souza

Comentários