Déda discute política de segurança

0

Primeira reunião entre Governador e Secretário de Segurança(Fotos: Márcio Rodrigues/ASN)
Buscar avanços e consecução de novos resultados no trabalho policial, a partir do aperfeiçoamento da gestão de toda a estrutura, equipamentos e tecnologia agregados à segurança pública em Sergipe nos últimos quatro anos. Este foi o tema principal da primeira reunião de trabalho em 2011 entre o governador Marcelo Déda e o secretário de Estado da Segurança Pública, João Eloy de Menezes.  O encontro ocorreu manhã desta quinta-feira, 6, no Palácio dos Despachos.

“Não há duvida de que há um avanço consistente nas ações da Secretaria de Segurança Pública. Nós vivenciamos um processo que aumentou a sensação de segurança do povo de Sergipe, já que o êxito da polícia sergipana no combate ao crime organizado, no desmantelamento de quadrilhas e, sobretudo, na repressão intensa ao tráfico de drogas, revelou uma enorme eficiência”, avaliou o governador.

Outro ponto de destaque, segundo o governador, são os resultados obtidos pela polícia sergipana na elucidação de crimes. “Neste aspecto, a polícia sergipana é reconhecidamente uma das mais competentes do Brasil. A capacidade demonstrada em investigar, utilizando as ferramentas de inteligência, chegando aos autores do crime e entregando-os à Justiça, diminuiu a impunidade no Estado de Sergipe. E este é um dos grandes ganhos da nossa política de segurança: a redução da impunidade pela maior eficiência da polícia”, afirmou Déda.

Indicadores

Governador diz que recebeu informações para otimizar os avanços
O governador Marcelo Déda também fez questão de esclarecer que os elevados indicadores de alguns delitos, especialmente no caso de homicídios, ainda provocam incômodo e exigem a abordagem dos diversos aspectos relacionados a esta incidência criminosa. “O que os inquéritos que estudamos e os dados demonstram é que há uma frequência muito grande da ocorrência de homicídios a partir do ‘ajuste de contas’ entre quadrilhas ou grupos criminosos, em especial envolvendo o tráfico de drogas”, revelou Déda.

“Grande parte dos homicídios que registramos ultimamente são estes ‘ajustes de contas’ dentro de grupos criminosos, onde muitas vezes traficantes que não pagam suas dívidas, bandidos que não cumpriram suas tarefas ou que perdem a confiança dos seus comparsas, dentre outras disputas que culminam com o crime de homicídio”, explicou o governador.

Outro aspecto relatado pelo governador também revela que grande parte dos envolvidos nestes crimes são ex-presidiários, fugitivos e indivíduos que tenham passagem pelos registros criminais em suas vidas pregressas. “Mas não obstante este fato, que é um fato da realidade,  é preciso aumentar a presença ostensiva da polícia e atuar através de ações preventivas para que nós possamos reduzir estes indicadores. Muitas vezes numa briga entre quadrilhas sobra uma bala perdida, e estes crimes terminam gerando insegurança e trazendo preocupações para o conjunto da sociedade”, ponderou Déda.

Aumento da presença policial

O governador informou que também recebeu informações sobre estudos e reflexões realizadas pelo secretário João Eloy e um grupo de assessores, buscando aprofundar as discussões para otimizar os avanços já conquistados na política de segurança pública. “Hoje nós temos uma polícia equipada, bem paga, tecnologicamente atualizada, seja na área de inteligência, seja na área do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), câmeras em toda a cidade que podem ajudar na prevenção de delitos, monitoramento de veículos por GPS, dentre outros avanços que já existem e que precisam ter sua performance melhorada, atuando na efetiva redução de crimes”, avaliou Déda.

Envolvimento da sociedade

Déda também discutiu com João Eloy sobre a implementação de um modelo de envolvimento da sociedade junto com o aparelho estatal na luta contra a violência. “O projeto ‘Pacto Pela Paz’ desenvolvido pelo Governo de Pernambuco, tem sido objeto da nossa análise e do nosso estudo”, revelou o governador.

O secretário João Eloy afirmou que sua equipe de trabalho produzirá um documento preliminar e, a partir de visitas e análises de outras iniciativas, buscará consolidar novos mecanismos para avançar no gerenciamento das ferramentas já existentes. “A partir da

determinação do governador, vamos buscar a consolidação de uma nova política de segurança, avançando no gerenciamento e gestão dos recursos que temos hoje na busca de uma maior eficácia no combate ao crime. Este é o momento ideal de buscarmos esta evolução, pois Sergipe nunca contou com as ferramentas disponíveis hoje”, avaliou o secretário.

Fonte: Ascom/SSP

Comentários