Déda diz que Eduardo Matos deve “baixar a bola”

0

Déda "Secretário precisa ser mais técnico, porque não entende de política" (Foto: Portal Infonet)

“É preciso que o secretário municipal de meio ambiente baixe a bola e seja mais técnico e não político, porque ele não entende de política. Até porque de política entende Dr. João Alves Filho. É preciso que ele entenda que é um promotor de Justiça. Hoje está na secretaria, amanhã está no Ministério Público. Que se lembre que o que vale na vida é credibilidade”.

A afirmação foi feita na manhã desta quinta-feira, 2, pelo governador Marcelo Déda (PT) referindo-se ao secretário Eduardo Matos, ao ser indagado pela imprensa sobre o impasse quanto às obras para conter o avanço das águas na Av. Beira Mar.

Para Marcelo Déda, o que a população sergipana está assistindo é uma discussão eminentemente técnica, garantindo não haver questões políticas ou pessoais da parte da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), por meio do secretário de Estado do Meio Ambiente, Genival Nunes.

“A Adema é uma agência de Meio Ambiente. O secretário de Meio Ambiente é Dr. Genival Nunes e eu não conheço nesse estado, uma autoridade mais qualificada do ponto de vista técnico e ético na área ambiental do que Genival Nunes. Aposição da Adema não é uma posição pessoal contra nenhuma autoridade nem é uma posição política contra nenhum partido. É a preocupação de um técnico que com a sua equipe não está emitindo nenhum posicionamento de mérito sobre o projeto, muito pelo contrário, a responsabilidade do projeto é da Prefeitura de Aracaju e ela faz o que ela achar conveniente fazer. Nós não queremos interferir nas prioridades nem nas decisões da Prefeitura”, garante.

Legislações

O governador lembrou que o secretário Genival Nunes, tem o Código Florestal, a legislação de Meio Ambiente, a Constituição Federal, a Constituição Estadual e as normas do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) para obedecer.

“Quem desobedece a legislação ambiental, quem pratica atos a descoberto da lei, acontece o que aconteceu no Rio Grande do Sul. O que Dr.Genival diz é o seguinte: A Adema precisa de um estudo técnico que mostre que as obras que vão ser feitas na Treze de Julho não vão ter implicações nem na própria Av. Beira Mar mais à frente, nem na Coroa do Meio, nem lá na Barra dos Coqueiros. Essa atitude é inclusive de quem quer colaborar porque nós não estamos pedindo a Rima não, estamos pedindo um estudo técnico”, ressalta.

Marcelo Déda lembrou a discussão entre Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Genival Nunes em torno da discussão da lixeira do município de Nossa Senhora do Socorro, mesmo os dois sendo aliados do Governo do Estado.

“Todo mundo acompanhou a discussão de Edvaldo Nogueira com Genival Nunes, quanto a questão da lixeira em Nossa Senhora do Socorro. Então não é uma questão política. Eu fiz um projeto para duplicar a Orlinha do bairro Industrial, a Adema não me liberou. Eu tive que mudar o projeto. Vou fazer só na avenida, mas não vou fazer mais os bares do lado do rio, porque ia precisar aterrar dez metros de rio e eles não deixaram. Eu sou o governador e poderia demitir o secretário e botar outro. Mas, eu sou escravo da lei e todos os secretários de Estado devem ser escravos da mesma lei”, destaca.

De acordo ainda com Marcelo Déda, o que precisa é mais diálogo e mais entendimento na discussão da execução de obras na Treze de Julho. “O que nós pedimos às pessoas é tranqüilidade e paciência. A qualidade do meu relacionamento com o prefeito João Alves Filho é excelente, de respeito mútuo, mas existem divergências. Não adianta um secretário de meio ambiente, promotor de Justiça agir com arrogância, nem achar que peitando o secretário estadual Genival Nunes vai resolver o problema, porque não vai, porque o secretário tem todo o apoio do governador”, enfatiza.

E acrescenta: “Eu não posso fazer pela Prefeitura de Aracaju, aquilo que eu não fiz por mim. Não posso fazer com Dr. João Alves, o que eu não fiz por Edvaldo Nogueira: interferir na Adema para  rasgar a opinião técnica de profissionais de alta qualificação que fazem a fiscalização ambiental em Sergipe. Se eu agir assim, estou traindo a lei e o meu mandato. O secretário municipal de meio ambiente e promotor de Justiça tem tentado politizar e isso tem me espantado e me deixado realmente preocupado, pois essa forma agressiva, de tentar fazer guerra com a Adema, só prejudica”.

Contraponto

Procurado pela reportagem do Portal Infonet para falar sobre as declarações do governador Marcelo Deda na manhã desta quinta-feira, quando da inauguração de uma empresa de Call Center, o secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Matos se limitou a dizer: “nada a declarar”.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais