Déda pede a Lula para não alterar vazão do rio São Francisco

0

Encontro em Brasília/Foto:Sérgio Amaral
O governador Marcelo Déda, em audiência nesta segunda-feira, 31, em Brasília, solicitou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que não permita a redução da vazão do Rio São Francisco, como pretendem técnicos do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico do Governo Federal. Mostrando-se preocupado com as informações levadas pelo governador, o presidente garantiu que nada será feito que prejudique os estados de Sergipe e Alagoas, os mais afetados caso a medida em estudo seja adotada.

Ainda durante a audiência, Lula determinou que o Ministério de Minas e Energia e outras instâncias federais envolvidas com o tema repassem informações à presidência da República. No relatório entregue ao presidente e elaborado sob a coordenação do secretário de Estado da Casa Civil, Oliveira Júnior, Déda expôs os desdobramentos negativos da redução da vazão.Atualmente, a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) admitem vazão mínima de 1.300 m³/s (metros cúbicos por segundo). Com a menor vazão já registrada, de 1.000 m³/s, já foram observadas pela Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) dificuldades na captação de água das adutoras do Alto Sertão, Sertaneja e São Francisco.

Entre outras providências, foram necessárias obras de drenagem e desobstrução de canais. “A redução da vazão para 700 m³/s [como sugerido por técnicos do governo] implica graves problemas para a captação de água do Rio São Francisco”, advertiu o governador. Em consequência, poderão ser afetadas a navegação e o fornecimento de água potável, inclusive da região metropolitana de Aracaju. Além disso, redução tão drástica pode redundar em prejuízos ainda desconhecidos.

Aeroporto de Aracaju

Na lista de temas levados pelo governador, as obras de ampliação de modernização do Aeroporto de Aracaju ganharam destaque de tal ordem que o presidente chamou à audiência o ministro da Defesa, Nelson Jobim. Ao presidente e ao ministro, Déda expôs o projeto do Governo do Estado, sobretudo a construção de nova pista de pouso e decolagem, além da ampliação do pátio de aeronaves.

Na longa audiência na noite de segunda, Déda tratou também do Plano de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), dos investimentos da Petrobras no Campo de Piranema, da duplicação da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen-SE), do Projeto Carnalita (Vale do Rio Doce), do Perímetro Irrigado Manoel Dionísio, da recuperação de perímetros irrigados no Baixo São Francisco, da conclusão do Luz para Todos, do aumento dos repasses do SUS (Sistema Único de Saúde) para Sergipe, da construção de moradias e da desfavelização da Avenida Euclides Figueiredo (Aracaju) e de áreas da Barra dos Coqueiros.

Fonte: ASN

Comentários