Deputada sai em defesa dos professores de Graccho Cardoso

0

Deputada apresenta dados sobre o magistério (Foto: Divulgação)
A deputada estadual Ana Lúcia (PT) usou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta segunda-feira, 16, para cobrar da Prefeitura Municipal de Graccho Cardoso o pagamento do piso salarial dos professores, conforme preconiza a lei do Piso Nacional do Magistério, e apresentou um balanço dos índices sócio educacionais referentes ao município.

A parlamentar disse que espera um resultado favorável à categoria nas negociações salariais a partir da próxima audiência do Sintese com a prefeita local. A reunião está marcada para quinta-feira, dia 19. A deputada Ana Lúcia destacou ainda que vários outros municípios ainda não estão cumprindo a lei do piso e Itabaianinha e Estância ainda estão em estado de greve.

Segundo ela, se as negociações não avançarem com o sindicato, será necessária a intermediação do Ministério Público. “Os professores estão cobrando um direito conquistado. Não tem como o professor entrar em greve para exigir um direito”, afirma Ana Lúcia.

Graccho Cardoso

Os dados sócio educacionais do município de Graccho Cardoso apresentados pela deputada Ana Lúcia são preocupantes, pois demonstram queda da matrícula, inclusive da educação infantil, e aumento do analfabetismo no município.

Os índices revelam que Graccho Cardoso acumulou, até 2009, redução de matrícula de 756 alunos, o que representa uma perda de R$ 2.566.166,06 do Fundeb em 2010. O município possui pouco mais de 5.800 habitantes, porém, entre os que possuem idade acima de 15 anos, 1.304 são analfabetos. A reprovação é de 36,1% das crianças na 1ª série e de 42,4% na 5ª série do Ensino Fundamental.

“Graccho Cardoso é um município pobre, mas que precisa ter uma política de educação que veja estes dados. Quase 18% da população entre 10 e 15 anos é analfabeta. Com idade acima de 15 anos chega a 54%, ou seja, mais da metade da população nesta faixa etária, sem acesso à leitura e à escrita, num mundo que hoje é digitalizado”, avalia a deputada petista.

De acordo com ela, “não tem como o estudante adentrar na cultura digital sem entrar e ter acesso ao direito de apreender o processo de leitura e de escrita, tão importantes para a reflexão, para o desenvolvimento da inteligência e do pensamento”, destaca ainda a deputada Ana Lúcia.

Fonte: Assessoria da deputada

Comentários