Galindo se entrega a Polícia Federal

0

Genivaldo Galindo se entrega depois de os filhos terem se apresentado à PF (Foto: Arquivo Infonet)

A Polícia Federal confirmou agora há pouco que o ex-prefeito de Canindé do São Francisco, Genivaldo Galindo, já se apresentou na sede da instituição. Ele se encontra neste momento no Instituto Médico Legal (IML) onde realizará exame de corpo de delito. Galindo se apresentou à PF nesta quarta-feira, 1º, depois que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu manter a condenação dele e de mais cinco pessoas pelo roubo das urnas das eleições no município em 1997.

Galindo demorou cerca de meia hora para a realização do exame no IML e quando deixou o local, preferiu evitar a imprensa. Usando boné e camiseta, o ex-prefeito de Canindé condenado pelo TRE ficou visivelmente irritado com a presença dos jornalistas e chegou a empurrar os equipamentos de filmagem.

O filho de Galindo, Genilson Galindo Chaves, o sobrinho dele, José Milton Galindo, e Carlos Damasceno já haviam se entregado na última terça-feira, 30 de novembro. Além deles foram condenados, também, Marcos “Muganga”, José Élio Avelino e Floro Calheiros

Prisões

Ao deixar o IML, Galindo(camisa verde) não falou com a imprensa (Foto: Portal Infonet)
Os três que se entregaram na terça chegaram na sede da PF acompanhados dos seus advogados e, depois de realizar os exames no IML, foram levados para o Complexo Penitenciário Carvalho Neto (Compencan).

Marcos Munganga foi preso no Estado de Alagoas no último dia 19. Floro Calheiros continua foragido após ter fugido do Hospital São Lucas em 2008 e Galindo cumpria prisão domiciliar.

O juiz José Anselmo Oliveira, relator do processo, acolheu o recurso do Ministério Público Federal, também condenando o delegado de Canindé do São Francisco à época, Álvaro Bento dos Santos, como beneficiário do crime. As urnas eleitorais foram roubadas do Fórum Dom Juvêncio de Brito por um grupo de pessoas usando uniformes militares.

* A matéria foi alterada ás 17h21 para acréscimo de informações

Por Kátia Susanna e Diógenes de Souza

Comentários