Grupo quer admissão de diplomas em Aracaju

0

Reunião aconteceu na manhã desta quarta-feira, 20 (Foto: César de Oliveira)

O presidente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), Vinícius Porto (DEM), recebeu na manhã desta terça-feira, 20/3, representantes da Associação Nacional dos Pós-Graduados em Instituições Estrangeiras de Ensino Superior (ANPGIEES), que vieram pedir a intercessão dos vereadores para discutir a aprovação da Lei de admissão dos diplomas de pós-graduação expedidos por instituições estrangeiras dos países que compõem e o Mercosul e também em Portugal.

O presidente da ANPGIEES, Vicente de França, explica que com a aprovação dessa lei na Câmara de Aracaju, os servidores com diplomas obtidos no exterior poderão usufruir dos benefícios contidos no Plano de Cargos, Carreiras e Salários do município. Ou seja, além da progressão profissional eles vão ter direito a docência. “Viemos pedir o apoio do presidente da Câmara, para aprovação de uma lei de admissão dos diplomas estrangeiros no município de Aracaju. Essa lei apenas ratifica no município, a lei que o Brasil já assinou com os tratados Internacionais de Portugal e países do Mercosul”, disse Vicente.

Vinícius Porto acredita que o país deve abrir as portas para aqueles que querem melhorar os seus conhecimento e contribuir no desenvolvimento educacional do Brasil, por isso a Câmara vai apoiar esta discissão, inclusive agendando uma Tribuna Livre na Casa. “Eu vou ver essa questão com os demais vereadores, e sugiro também a realização de uma Tribuna Livre para que a população possa tomar conhecimento do que esta lei se propõe. Podem contar comigo que eu vou dar procedimento ao pleito”, disse o presidente da CMA.

França disse ainda que a Associação já levou proposta para a Assembleia Legislativa e também para outros municípios do interior como Umbaúba, Estância e Tobias Barreto.  “A situação do Brasil é de desrespeito aos tratados internacionais, pois muitos brasileiros não têm os seus direitos reconhecidos. Pessoas que fizeram pós-graduação fora do país e que hoje não têm o seu diploma reconhecido significa um atraso para o nosso país. Desejo que este projeto de lei seja referendado por Aracaju, numa lei municipal e também em todo Estado”, reforçou.

Participaram da reunião, a coordenadora do curso de pós-graduação da Universidade Lusófona, Laura Tereza; a delegada da (ANPGIEES), Rose Cabral e a doutoradanda em educação pela Universidad de San Carlos, Sandra Sainda no encontro, ficou confirmado uma Tribuna Livre com a Associação para o dia 23 de abril.

Fonte: Ascom CMAju

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais