Merenda: decisão do TCE repercute na Câmara

0
Lucimara, Bertulino e Lucas: suspeita de superfaturamento (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Repercutiu na Câmara de Vereadores, nesta sexta-feira, 26, a decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) em cobrar efetiva fiscalização da Prefeitura de Aracaju quanto à quantidade da merenda escolar servida aos alunos da rede municipal de ensino. A vereadora Lucimara Passos (PC do B) levantou suspeita de superfaturamento e estranhou o elevado aumento do contrato firmado entre a prefeitura e a empresa fornecedora dos alimentos.

Segundo Lucimara Passos, o contrato passou dos R$ 18 milhões anuais, pagos em 2012, para R$ 54 milhões, no ano passado. “É, no mínimo, um aumento suspeito”, revelou a parlamentar. Ela garante que se verificou que, mesmo com o contrato com preço tão alto, a prefeitura continua realizando compras de produtos alimentícios além daqueles licitados. “Inclusive com empresas envolvidas no escândalo da merenda em São Cristovão e Nossa Senhora do Socorro”, frisou a vereadora.

Ofensas

Agamenor: rosquinhas e quisuco

O líder do DEM, vereador Renilson Félix, optou por ofender a parlamentar ao usar a tribuna para defender a gestão municipal. “É uma incoerência tamanha. A vereadora sofre de amnésia ou de problemas mentais mais graves, o que tem que se questionar é a compra de medicamentos vencidos feita pela gestão passada. Mas perdoamos porque a administração dela foi fajuta e chula que não merece o respeito da população”, enalteceu.

O vereador Agamenon Sobral (PP) também defendeu a gestão. “Estão querendo fazer campanha com a merenda escolar. Pouco importa o valor, o que importa é a qualidade. O PC do B servia quisuco com rosquinha e hoje é servido feijão. Um pacote de rosquinha é R$ 2,50 e um quilo de feijão é R$ 4, por isso que é mais caro”, justificou. Lucimara reagiu. “É necessário qualidade, sem usurpação do dinheiro público”.

O vereador Lucas Aribé (PSB) também cobrou fiscalização do contrato com a prefeitura, classificando com o absurdo o fato da empresa contratada ser a própria fiscal.

Renilson Félix: defesa ofensiva

O vereador Agnaldo Feitosa (PR) negou este fato, informou que a fiscalização é exercida com rigor pela equipe da própria prefeitura e também pelo Conselho Municipal de Alimentação Escolar. Mas a vereadora Lucimara Passos insistiu com as denúncias e prometeu enviar relatório ao Tribunal de Contas contendo novas denúncias.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais