Nota de Solidariedade ao jornalista Ivan Valença

0
(Foto: Arquivo Portal Infonet)

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Sergipe (SINDIJOR) vem prestar publicamente solidariedade ao jornalista Ivan Valença, que foi vítima de agressões verbais, no último dia 12 de junho, em plena tribuna da Câmara de Vereadores de Aracaju, pelo parlamentar Agamenon Sobral, do Partido Progressista (PP), ao discordar de uma nota publicada pelo jornalista em sua coluna, no Jornal da Cidade.

Ao mesmo tempo, repudiamos a ação do vereador que, como membro de uma casa legislativa e representante eleito pelos aracajuanos, deveria dar o exemplo, por estar vereador numa Casa plural onde, presume-se, seja espaço de debates e de ideias. Sendo assim, não deviria usar a tribuna da maneira que usou, para discordar do texto do jornalista de forma agressiva e preconceituosa, atingindo não só o profissional, mas toda uma categoria e também a população idosa, ao reputar à idade do jornalista, que é um idoso, o motivo por estar produzindo supostas inverdades em sua coluna, presumindo, no seu raciocínio, que o mesmo já não pode ser jornalista. Um disparate sem tamanho, ainda mais se tratando de um profissional que lida com informação e saber, que só se enriquecem e se aprofundam com a maturidade.

Infelizmente, tem sido recorrente em nosso estado a agressão aos profissionais da comunicação, em especial a jornalistas. Atualmente vivemos em um estado democrático de direito onde a liberdade de expressão deve ser assegurada e a integridade dos profissionais de comunicação garantida. Alguns empresários e políticos sergipanos têm dado maus exemplos, pois, ao se sentirem atingidos pelos textos de algum jornalista que não comunga das suas ideias e pretensões, acham-se no direito de agredi-lo e até ameaçá-lo.

O vereador Agamenon Sobral tem chamado a atenção da sociedade aracajuana e sergipana ao usar da tribuna, em várias oportunidades, para clamar, com fervor e saudosismo, pelo retorno da ditadura militar, que perseguiu, torturou e matou brasileiros no período de 1964 a 1985, e também para agredir trabalhadores em luta por melhores condições de trabalho e de salário, a exemplo das suas maldosas intervenções na Câmara de Vereadores para destratar a luta dos professores da rede estadual e da rede municipal de Aracaju e dos médicos.

Qualquer pessoa tem o direito de discordar e solicitar a correção de quaisquer informações publicadas ou veiculadas nos meios de comunicação do nosso Estado, mas isso não pode ser feito através da violência verbal, gratuita e preconceituosa. Tal ação não se coaduna com o atual momento democrático em que nosso país vive.

Fonte: Sindijor

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais