Óleo: Adema diz que Plano de Contingência não foi acionado totalmente

0
Gilvan Dias no momento em que fez pronunciamento na Câmara dos Deputados (Foto: reprodução do vídeo da audiência Câmara dos Deputados)

Na audiência pública da Comissão Externa da Câmara dos Deputados, o presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Gilvan Dias, representou o estado de Sergipe. Ele fez um relato preocupante sobre os efeitos do óleo na atividade pesqueira e revelou que o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo (PNC) não foi efetivamente instituídos pelo Governo Federal.

Gilvan Dias revelou que a situação das praias e também dos pescadores que, direta e indiretamente dependem da atividade pesqueira é dramática e fez um apelo para que o Governo Federal inclua os estados afetados no Comitê de Suporte PNC. Segundo Dias, o Governo Federal respondeu a questionamento do Ministério Público Federal em ação judicial, informando que todos os estados afetados estariam representados no PNC. Mas na prática, segundo Gilvan Dias, nada disso aconteceu ainda.

Gilvan Dias informou que os 163 km do litoral sergipano foram atingidos pela substância oleosa, que já foram recolhidas 1.210 toneladas de óleo nas praias e destacou a necessidade urgente de se construir um plano de recuperação das áreas degradas. “Nossos mangues e estuários também estão afetados. Em alguns pontos em Sergipe, os pescadores não podem mais voltar com as mesmas pescarias”, disse. “Aquelas pessoas que vivem da pesca já não mais encontram o pescado por conta disso”, complementou.

Segundo Gilvan Dias, 15 cidades sergipanas foram afetadas, entre as quais 11 foram atingidas diretamente pelo óleo. As outras quatro cidades foram atingidas indiretamente em função da atividade pesqueira ser o condutor da economia local. Foram 20 praias atingidas e, entre elas, três foram declaradas impróprias para o banho em decorrência do óleo, conforme destacou o presidente da Adema durante a audiência.

A audiência foi conduzida pelo deputado federal João Daniel (PT/SE), que também contou com participação de representantes dos pescadores dos estados de Sergipe, Bahia, Pernambuco, Piauí e Ceará.

por Cassia Santana

Comentários