Operação prende ex-deputado Mundinho da Comase

0
(Foto: Produção do Programa A Hora da Verdade)

Uma operação nas primeiras horas da manhã desta quarta,29, terminou na prisão do ex-deputado Mundinho da Comase. A delegada que está a frente da investigação, Daniele Garcia, responsável pela Delegacia da Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) da Polícia Civil, ainda não se pronunciou sobre a prisão do ex-deputado.

De acordo com a delegada foram realizadas prisões preventivas expedidas pelo juiz do município de Lagarto. Daniele Garcia explica que no caso do deputado ele não tem mais o foro privilegiado.

Além da prisão do ex-deputado, outras duas pessoas já foram presas no municipio sergipano de Lagarto. Os presos de Lagarto foram identificados como Algifranco e Igor, ambos são irmãos e responsáveis por uma associação. "Nós esperamos que com as prisões eles possam colaborar, porque as provas são muito robustas", declarou acrescentando que outras prisões podem ocorrer.

"É um escândalo e o que for preciso fazermos para investigar nós vamos fazer", reforçou.

O ex-deputado Mundinho está neste momento no prédio da Delegacia Plantonista, em Aracaju, onde será ouvido pela delegada Daniele Garcia.

A informação da assessoria de comunicação da Secretaria da Segurança Pública (SSP) é que uma entrevista é realizada em instantes. Uma equipe do Portal Infonet acompanha as informações em instantes trará informações completas sobre o caso.

O promotor Henrique Cardoso também já chegou a sede da Delegacia Plantonista onde declarou que irá ouvir pela primeira vez o ex-deputado Mundinho da Comase.

Os dois presos em Lagarto, Algifranco e Igor, chegaram às 7h31 na Delegacia Plantonista, em Aracaju. Os presos entraram na delegacia e não falaram com a imprensa. O caso dos irmãos foi mostrando pelo Portal Infonet em abril desse ano.

Professor

Um dos casos que chama a atenção é de um professor da rede municipal de Lagarto, identificado como Algifranco. Segundo a delegada, na conta bancária do professor existia uma movimentação milionária, incompátivel com o cargo público.

Relembre o caso

Em dezembro de 2014, a Procuradoria Regional Eleitoral em Sergipe (PRE/SE) ajuizou 25 ações contra 23 deputados da legislatura vigente à época na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), por irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social. Também foi processada a ex-deputada e atual conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Suzana Azevedo. Além de os valores terem sido repassados ilegalmente, por conta de proibição na legislação eleitoral, o levantamento inicial identificou pelo menos R$ 12,4 milhões desviados de sua finalidade.

Internautas podem encaminhar vídeos e fotos para a redação de jornalismo do Portal Infonet por meio do (079) 21068000, Whatsapp (079).

* A matéria foi atualizada às 07h34 para acréscimo de informações

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais