Pacto federativo: Maria quer discutir dívidas

0

(Foto: Arquivo Portal Infonet)

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) defendeu hoje,3, que a discussão em torno do abatimento dos encargos das dívidas de Estados e municípios esteja na pauta de matérias vinculadas ao Pacto Federativo, este ano. Ela espera que seja cumprido o acordo dos relatores da matéria nas Comissões temáticas, no sentido de se colocar em votação, logo após a reabertura dos trabalhos, em fevereiro.

A proposta, de iniciativa do Executivo e já aprovada pela Câmara dos Deputados, prevê a troca do indexador das dívidas, o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).  A proposta também reduz para 4% os juros anuais, que variam de 6% a 9%, além de definir a taxa básica de juros Selic como limitador do pagamento dos encargos.

“Neste caso, quando a aplicação da fórmula IPCA mais 4% for superior à variação acumulada da Selic, a taxa básica será o indexador”, explicou Maria do Carmo, observando que a limitação dos encargos à variação da Selic será retroativa à data da assinatura dos contratos e a diferença servirá para reduzir o saldo devedor.

Maria ressaltou que, “lamentavelmente, a previsão é de que a crise dos Estados se agrave com uma eventual declaração de inconstitucionalidade de todas as leis estaduais que amparam a guerra fiscal, o que aconteceria com a súmula vinculante”. A aprovação da convalidação foi condicionada pelo governo federal a uma reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que reduza, nos Estados, margem para a prática da guerra fiscal, com a unificação das alíquotas interestaduais.

Fonte: assessoria parlamentar com informações da Agência Senado

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais