Prefeitos de SE vão entregar pauta a Eduardo Campos

0
Prefeitos de Sergipe vão entregar pauta a Eduardo Campos e estudam reação ao governo federal (Foto: divulgação)

Os prefeitos de Sergipe se reuniram, na tarde dessa quinta-feira (21), no auditório da AEASE, em Aracaju, e definiram os detalhes da pauta municipalista que será entregue ao governador de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB), que estará no Estado nesta sexta-feira (22), para receber o Título de Cidadão Sergipano, que será ofertado pela Assembleia Legislativa, através de uma indicação do deputado estadual Venâncio Fonseca (PP).

Os gestores também demonstraram bastante insatisfação com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), na pessoa do presidente Paulo Ziulkoski, e com o governo federal. O anúncio da presidente Dilma Rousseff (PT), ao colégio de líderes, de que não vai repassar o aumento de 2% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) revoltou por demais a categoria. Os prefeitos chegaram à conclusão que não dá para manter um discurso tão pacífico com a presidente Dilma Rousseff (PT) e estudam uma reação mais forte.

O presidente da Associação dos Municípios da Barra do Cotinguiba e Vale do Japaratuba (AMBARCO) e prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique (PDT), disse que não dá para os prefeitos diminuírem o ímpeto agora. “Nossa situação é crítica. Já estamos em uma condição muito difícil. Tenho conversado com a bancada federal, mas a resposta que a presidente Dilma disse ao colégio de líderes foi para vetar novos gastos até dezembro de 2014”.

“Estamos em uma situação complicada e pior é se a gente aceitar isso de braços cruzados. Vamos continuar mobilizados e dia 10 temos que participar do ato em Brasília”, completou. Os prefeitos sergipanos estudam participar de uma grande mobilização nacional, agendada para 10 de dezembro, na capital federal, novamente para pressionar o governo.

Por sua vez, o presidente da Federação dos Municípios de Estado de Sergipe (FAMES) e prefeito de Monte Alegre, Antônio Rodrigues (PSC), o “Tonhão”, disse que os prefeitos não devem apenas participar do ato em BSB, como também cada um levar um ônibus com uma média de 40 pessoas para fortalecer a causa municipalista em Brasília e aumentar a pressão ao governo federal.

“Está na hora da gente deixar de tanto zelo com o governo. Os agentes de Saúde fizeram uma grande mobilização, discutiram com alguns prefeitos, fecharam vias e acuaram os governos e o Congresso. Os prefeitos têm que se manifestar também, têm que ser respeitados. Vamos uniformizados, vamos reunir o maior número de prefeitos e cada um leve sua caravana. É o futuro dos municípios que está em jogo”, respondeu o presidente da FAMES.

Pauta

O presidente da AMBARCO, Fábio Henrique, defendeu que o encontro com Eduardo Campos no PSB tem que ter repercussão nacional. “É repercutindo nacionalmente que a gente começa a incomodar o governo federal e começa virar rotina. Primeiro é Sergipe, depois é a Bahia, e depois vai ser Minas Gerais. Precisamos ser ouvidos no cenário nacional”.

O prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva (PRB), defendeu que o foco do encontro tem que ser o pacto federativo. “Não temos que puxar outro assunto que não seja a pacto federativo. Temos que conversar com Eduardo Campos e com Aécio Neves (PSDB) também. Temos que cobrar do presidente da CNM que ele não dialogue apenas com Dilma, mas que fale em nome dos prefeitos com os outros presidenciáveis também”.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais