Senador diz que troca de voto por emendas é a cara da velha política

0
Senador Alessandro Vieira diz que vai continuar trabalhando em favor dos sergipanos (foto: Marcos Oliveira / Agência Senado)

O Portal Infonet ouviu alguns parlamentares da bancada sergipana no Congresso Nacional sobre a informação de que o Governo Federal vai condicionar a liberação de verbas para emendas parlamentares e a distribuição de cargos nos Estados ao apoio que receber dos deputados e senadores, e que já iniciou o monitoramento dos parlamentares nas redes sociais, discursos feitos na tribuna, além de acompanhar a votação de cada um no plenário.

Além da aprovação no Senado da indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, para o cargo de embaixador nos Estados Unidos, o pacote de medidas do presidente Jair Bolsonaro inclui a indicação de Augusto Aras para o comando da Procuradoria-Geral da República e a Reforma da Previdência, além da tentativa de impedir a abertura da CPI da Lava Toga no Senado, que tem o objetivo de investigar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O senador Alessandro Vieira (Cidadania), autor do requerimento para abertura da CPI da Lava Toga, afirma que a atitude do Governo é contraditória, a medida que ele foi eleito afirmando que não daria continuidade a velha política.

Nós vamos continuar fazendo nosso trabalho com independência e autonomia defendendo os interesses de Sergipe sem abrir mão de nossa coerência e dos valores éticos. O Governo que foi eleito dizendo que ia mudar a velha política, agora faz essa troca de emenda por voto, o que me parece a cara da velha política”, ressalta o senador.

A assessoria de comunicação da senadora Maria do Carmo Alves (DEM) lembra que ela é signatária da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 118/2019 [que entende que a escolha de chefe de missão diplomática de caráter permanente (embaixada) deve incidir sobre servidor integrante da carreira diplomática] e que sendo favorável a tramitação da PEC já deixa clara sua posição sobre a indicação do filho do presidente ao cargo de embaixador americano.

Deputado Fábio Henrique (PDT) lembra que  o Governo não pode segurar as emendas impositivas (Foto: Rede Social do parlamentar)

Sobre as troca de apoio pela liberação de verbas para emendas e para indicações a cargos políticos, e o monitoramento dos parlamentares, a senadora não se manifestou.

Além dos senadores, o Portal Infonet falou com alguns deputados. Valdevan Noventa (PSC), que votou contra a Reforma da Previdência, disse, através da sua assessoria de comunicação, que vai se reunir com o partido e só depois é que irá se posicionar.

Já o deputado Fábio Henrique disse que não tem conhecimento desse monitoramento, mas lembrou que o governo só pode condicionar a liberação das emendas de programação, ou seja, emendas extras. As emendas individuais são impositivas, portanto o Governo não pode segurá-las.

senador Rogério Carvalho está em missão oficial do Senado na China, e por isso não foi possível contatá-lo para falar sobre o assunto.

Por Karla Pinheiro

Comentários