Serra encerra seminário do PSDB

0

Governador de São Paulo e um dos candidatos do PSDB para eleição do 2010 / Foto: André Moreira
O Seminário Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social, promovido pelo PSDB, contou com a sua estrela máxima, o Governador de São Paulo, sr. José Serra, por poucos instantes. Marcado para as 9 horas, o seminário começou quase que no horário, atraso de apenas 15 minutos – mas José Serra só chegou ao Hotel Parque dos Coqueiros, por volta do meio dia.

 

O Governador João Alves Filho saudou o governador paulista de modo até exagerado, fazendo uma “encenação teatral” para criticar demoradamente o governo do presidente Lula e do PT. O Governador Albano Franco foi mais comedido, destacando o trabalho de Serra enquanto Ministro do Planejamento e da Saúde no Governo do sr. Fernando Henrique Cardoso.

 

Os ex-governadores Albano e João saudaram Serra / Foto: André Moreira
Primeira vez

 

O Governador Serra começou sua fala lembrando que esteve em Aracaju pela primeira quando o Estado era governado pelo sr. Seixas Dória. De lá para cá a cidade cresceu muito, de modo que Sergipe tem o maior PIB pet capitã do Nordeste e melhor distribuição de renda do Nordeste. “É uma grande conquista sem dúvida”, destacou.

        

Depois de saudar, um a um, todos os integrantes da mesa, Serra disse que até 2020 teremos 14 milhões de pessoas a mais na população brasileira – “ou 19 cidades como Aracaju”. “É uma enorme responsabilidade para os futuros dirigentes do País”. Ele reconhece que o padrão de vida do brasileiro melhorou e que a mortalidade infantil diminuiu, assim como a expectativa de vida subiu, mas há ainda grandes desafios pela frente. “Um terço da população vive em favelas. Um dos principais problemas é a criação de empregos e a transferência de renda para a camada mais pobre da população”. Entende ele que emprego é fundamental, mas também depende do crescimento da economia.

 

Seminário ficou lotado de lideranças políticas do Estado e partidários / Foto: André Moreira
Sub-representada

           

Para José Serra, a chamada “cidade grande” é subrepresentada no Congresso Nacional. “São Paulo, por exemplo, tem uma enorme população e apenas poucos parlamentares. Prometeu então fazer uma reforma política para enfrentar esse problema”. Mais adiante disse que o planejamento é fundamental para o Brasil do futuro. “Ainda dá tempo de Aracaju enfrentar os problemas que devem ser tratados. É uma cidade com 500 e poucos mil habitantes e já deve começar a se preparar para a construção de metrô”.

        

Embora indiretamente, Serra falou dos serviços essenciais que o desenvolvimento urbano deve preservar: “Planejamento, transporte, saúde, segurança, o verde, tudo isso integralizado dentro de uma política desenvolvimentista”. Não deixou de ressaltar a importância de uma boa rede de esgotos, cujo investimento é alto, mas é essencial para a Saúde.

        

O presidenciável abordou os anos que passou no exílio – foram 14 anos, boa parte deles no Chile, de onde também foi exilado – e o trabalho desenvolvido por ele, na área de saúde e do planejamento.

        

Referiu-se ao ex-governador e atual deputado federal Albano Franco, “que reclama prá burro e é um grande palanqueiro” e, por fim, disse que o PSDB tem interesse em ganhar a eleição no ano que vem. “Temos que unidade nesta campanha, que vai ser muito dura. Mas, vamos ganhar juntos e governar juntos”, encerrou.

Por Ivan Valença

Comentários