Setransp se ausenta de debates sobre tarifa de ônibus

0

Demétrio Varjão (Fotos: Portal Infonet)

“A gente não vê a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) de Aracaju gastar nem um centavo com fiscalizações de ônibus e o Setransp está fugindo do debate”. A reclamação foi feita na tribuna da Câmara de Vereadores pelo representante do Movimento Não Pago, Demétrio Varjão, durante Sessão Especial sobre o transporte coletivo, realizada na tarde desta segunda-feira, 11.

Na ocasião, o superintendente da SMTT, Nelson Felipe disse que convidou a equipe a circular nos ônibus para detectar os problemas enfrentados pelos usuários.

A sessão foi proposta pelo vereador Iran Barbosa (PT), que lamentou a ausência de representantes do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp), que reivindica reajuste de 11% na tarifa de ônibus.

Iran Barbos: "Ausência do Setransp dificulta"

“É lamentável a ausência do Setransp neste debate de grande importância para que possamos emitir opiniões quanto ao reajuste da tarifa de ônibus. A ausência dificulta na medida que a gente poderia ouvir dados fundamentais por parte do sindicato, quanto à planilha”, ressalta Iran Barbosa destacando a necessidade urgente da licitação.

“Quero parabenizar a iniciativa do vereador Iran Barbosa, porque essa sessão se realiza pela primeira vez para tratar de um assunto tão importante como o transporte público. Temos uma frota sucateada, ônibus velhos e uma das tarifas mais caras do país. É lamentável que o Setransp esteja fugindo do debate não comparecendo à Sessão Especial que cobra o respeito aos usuários, aos idosos, aos portadores de necessidades especiais e às mulheres”, destaca Demétrio Varjão.

Nelson Felipe: "Já andei muito de ônibus"

Ele criticou ainda a falta de transparência na divulgação das planilhas. “As tarifas aumentaram 150% nos últimos meses, contrariando a Lei Orgânica do Município. Os custos nunca foram revelados para a população de forma transparente. Agora, que a secretária Georlize Teles nos mostrou e detectamos várias irregularidades: a maioria da frota utiliza pneus tubbless, sem câmera de ar, mas a cada pneu comprado é acrescido um valor de R$ 71,83 mais R$ 38,93, referente a uma câmera de ar e a um protetor. São incluídas despesas de motoristas e cobradores para os Midibus e Micro-ônibus, quando esses veículos só tem um empregado fazendo dupla função”, lamenta Demétrio Varjão.

SMTT

O superintendente adjunto da SMTT, Denilson Peres Tosta informou que “o custo é calculado com base na quilometragem”.

Denilson Peres: "Custo baseado na quilometragem"

Galerias ficaram lotadas

“Quero deixar bem claro que a nossa intenção não é de ponderar ou de usar qualquer meio de fazer com que a sociedade seja prejudicada. Já andei muito de ônibus e convenci até a equipe para andar de ônibus nos próximos dias. Eu sei das dificuldades. É um desafio para nós melhorar o sistema de ônibus. Não existe nenhuma decisão, nenhuma vontade nossa de prejudicar quem quer que seja. Queremos o beneficiar a população com transporte público de qualidade”, garante Nelson Felipe.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais