Subvenções:TSE mantém arquivadas denúncias contra deputados estaduais

0
TSE julga todos os recursos em bloco (Foto: Ascom/TSE)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve o arquivamento das denúncias por crime eleitoral [conduta vedada] contra os deputados estaduais pela distribuição, em ano eleitoral, e mau uso das verbas de subvenções destinadas pela Assembleia Legislativa de Sergipe a entidades do terceiro setor, por indicação dos parlamentares. No âmbito da Justiça Eleitoral, no primeiro momento, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou procedente as denúncias do Ministério Público Federal em Sergipe (MPF) e os condenou [a maioria com perda dos respectivos mandatos e outros só a pagamento de multa].

Mas o TSE, ao julgar os recursos, se dividiu, prevalecendo o entendimento da necessidade de se incluir, nas ações individuais, a ex-deputada Angélica Guimarães, que presidia o Poder Legislativo Estadual à época. Ao iniciar o julgamento, o ministro Luiz Fux, relator do processo, manteve as condenações, divergindo em alguns aspectos, mas votando pelo reconhecimento da denúncia e punição aos deputados. Mas o ministro Tarcísio Vieira de Carvalho apresentou voto divergente, acatando a tese da defesa, nas preliminares e os processos acabaram arquivados sem que o mérito da questão fosse debatido no plenário do Tribunal Superior Eleitoral.

A Procuradoria Geral da República (PGR) insistiu para que o TSE julgasse o mérito e derrubasse a tese da defesa. Mas os recursos também derrotados. Na quarta-feira, 13, os recursos, que teve o ministro Tarcísio Vieira de Carvalho como relator, foram julgados em bloco. E, por unanimidade, não foram reconhecidos.

Relembre o caso

As irregularidades nos repasses e destino das verbas de subvenções repassadas foram detectadas em investigação realizada pelo Ministério Público Federal, através da Procuradoria Regional Eleitoral. Os deputados foram denunciados e condenados pelo TRE por crime eleitoral classificado por conduta vedada.

Conheça, abaixo, as penas defendidas pelo ministro Luiz Fux aos deputados sergipanos, conforme o voto apresentado em junho, que acabou vencido com a divergência aberta pelo ministro Tarcísio Vieira de Carvalho:

Cassação com aplicação de multar no patamar máximo:

João Daniel [deputado federal, que à época da distribuição das verbas de subvenções exercia mandato de deputado estadual]

Venâncio Fonseca

Raimundo Vieira – o Mundinho da Comase

Augusto Bezerra

Adelson Barreto [atualmente ocupando vaga de deputado na Câmara de Deputados]

Capitão Samuel Barreto

Gustinho Ribeiro

Zeca da Silva

Zezinho Guimarães

Multa isolada no patamar máximo em valor superior a R$ 100 mil, sem cassação do mandato

Paulinho das Varzinhas

Arnaldo Bispo

Gilson Andrade

Conceição Vieira

Jeferson Andrade

Multa isolada de R$ 20 mil, sem cassação de mandato

Francisco Gualberto

Maria Mendonça

Luiz Mitidieri

Garibalde Mendonça

Bloco dos Absolvidos

Susana Azevedo

Antonio Passos

Angélica Guimarães

Zé Franco

Por Cassia Santana

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais