Venâncio volta a falar sobre segurança em Sergipe

0

Deputado Venâncio Fonseca (Foto:Maria Odília)
O líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Venâncio Fonseca (PP), disse nesta quinta-feira, 19 que as áreas da Segurança Pública e Saúde têm deixado os sergipanos preocupados. Segundo ele, o atentado ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Sergipe, desembargador Luís Mendonça, ocorrido ontem e que ganhou repercussão nacional, expôs Sergipe de forma negativa para todo país. “Nosso Estado é pacato e todos sabem que crimes dessa natureza não acontecem aqui, é uma coisa raríssima. Mas ele deixou transparecer que Sergipe é um Estado sem lei, onde não se respeita as autoridades”, disse.

Ele classificou como ousada a ação dos marginais, que atacaram o desembargador e seu motorista, Jailton Pereira, em plena via pública da zona sul, em horário de grande movimentação. “É uma afronta ao estado de direito, à Justiça, ao Poder Judiciário, às autoridade e ao governo do Estado. Esse ato deixa claro a insegurança que vivemos no dia a dia. Porque, se acontece com a maior autoridade do sistema eleitoral do Estado, imagine a insegurança que está vivendo o cidadão comum”, observou.

Na avaliação do oposicionista, a ação também deixou exposta outra fragilidade na área da Saúde, que é o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ele relatou as informações que saíram na imprensa de que um promotor ligou para o Samu informando que o motorista do desembargador tinha sido atingido e estava agonizando. Entretanto, como o socorro demorou, os colegas policiais se impacientaram e eles próprios prestaram socorro ao invés de esperar o Samu. “Ficou claro que este também está sendo um setor precário”, disse.

Outro problema relatado pelo líder da oposição foi a quebra do aparelho de tomografia do Hospital João Alves Filho. Venâncio Fonseca disse que por conta disso o motorista teve que ser levado para fazer o exame de tomografia no Hospital Renascença. “Isso porque o aparelho está quebrado e não consertaram. E tive a informação que na noite de ontem quatro ou cinco pacientes da área vermelha, entubados, também tiveram que ser levados para a Renascença, porque o aparelho do Hospital João Alves está quebrado”, revelou o deputado. Ele disse que mesmo que o líder do governo diga que seu discurso é um disco arranhado, ele vai continuar a expor a situação da saúde em Sergipe. “Temos que cobrar, não podemos ficar calados”.

Ainda em seu discurso, Venâncio ressaltou que há algum tempo vem alertando para falta de segurança no Estado. “Os índices de criminalidade são alarmantes, a insegurança é total e há alguns dias venho batendo na tecla de que não é possível fazer segurança com dois policiais numa cidade com 30 mil habitantes”, disse. O deputado falou do roubo de gado e a propriedades rurais no interior do Estado, além dos assaltos a ônibus e roubo de veículos, que também têm assustado os sergipanos. “A população tem vivido prisioneira, gradeada, porque não tem segurança”.

Fonte: Agência Alese

Comentários