Vereadores preocupados com cortes da PMA

0

Vereador Nitinho diz que servidores não podem ser prejudicados
A Secretaria Municipal de Finanças prevê que, este ano, Aracaju sofrerá uma redução de R$ 35 milhões nos repasses de apenas duas fontes, o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e os royalties pela exploração e produção de petróleo.

Os dados foram apresentados pelo Secretário de Finanças, Jéferson Passos, a Câmara Municipal de Aracaju, na última terça-feira, 6. Preocupados com o anuncio de cortes alguns vereadores falaram sobre a queda na arrecadação. A vereadora Rosangela (PT), disse que não acredita em cortes de pessoal. “Tenho certeza que a Prefeitura de Aracaju vai apertar todos os gastos para que não haja cortes de pessoas. Essa é a lei da responsabilidade fiscal e se tiver que cortar não tem jeito, mas a pratica da prefeitura sempre foi de mexer em todas as despesas extras”, disse a vereadora.

Já o vereador Nitinho (DEM), disse que os servidores não podem ser prejudicados. “A apresentação do Secretário de Finanças foi muito preocupante principalmente para os servidores municipais porque a queda da arrecadação foi muito alta. Os servidores já foram prejudicados com esse aumento de 1% e com esse orçamento a prefeitura não tem previsão de aumento”, destacou.

Jailton Santana (PSC),ressaltou a preocupação com os servidores. “Vejo como uma perspectiva muito preocupante para os servidores municipais. Mesmo que venha ter cortes de pessoas não vai atingir aos efetivos. Mas acredito que a prefeitura possa diminuir as despesas nos repasses como a instituição Eunice Weaver que recebeu cerca de R$28 milhões”,

“Temos que avaliar que os cortes no orçamento é uma realidade, mas têm que haver prioridade, não se pode cortar salários, pessoas e nem programas sociais. Os cortes têm que ser administrativo, ou seja, com despesas de diárias. Não se pode atingir a população sergipana”, disse o vereador Danilo Segundo (PSB).

Por Kátia Susanna

Comentários