CRM aguarda escala médica para desinterditar ortopedia do Nestor Piva

0
Ala ortopédica do Nestor Piva continua sob interdição ética (Foto: Arquivo Infonet)

Ao contrário do esperado, a escala do setor ortopédico do Hospital Nestor Piva ainda não foi entregue e, portanto, continua sem atender a população. Agora, ela é a única da unidade zona norte sob interdição ética do Conselho Regional de Medicina (CRM), que aguarda a lista de médicos para o setor ainda neste fim de semana. No Nestor Piva, já foram desinterditadas as clínicas médica e cirúrgica.

A vice-presidente do CRM, Rika Kakuda, comentou que até a próxima segunda-feira, 14, a ortopedia pode voltar a funcionar. “Há um grupo engajado trabalhando para completar a escala. Os ortopedistas que tem lá são os concursados e do processo seletivo, os da nova empresa ainda não entraram. Nosso objetivo é que a população volte a ser atendida. O paciente que chega lá após um acidente de moto, por exemplo, passará por avaliação de um cirurgião, mas em caso de fratura, precisaria ir para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse)”, lamentou.

Fernando Franco

O Hospital Fernando Franco, na zona sul, continua sem atendimentos. Até a interdição, funcionava o setor de pediatria. Rika explicou que esses problemas na unidade zona sul sobrecarregam outros hospitais. “Há uma reforma que nos trouxe reclamação sobre poeira. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) explicou que era para fazer readequações na estrutura, aplicar ar-condicionado, etc. Pedimos pressa porque a população continua desassistida, a demanda do hospital zona norte vai aumentar e vamos precisar de um contingenciamento maior de médicos lá. Já recebemos queixas o Huse e o Hospital Santa Isabel estão sobrecarregados na pediatria”.

Desmentindo retaliação

Acerca de boatos sobre suposta retaliação do Conselho Regional de Medicina (CRM) a médicos que aderissem ao modelo de Pessoa Jurídica (PJ) oferecido pela Prefeitura de Aracaju, Rika esclarece que tal possibilidade não é real. “O Sindicato dos Médicos (Sindimed) afirmou que nunca houve retaliação. Eles lutam pela realização de concurso público, que é também o nosso desejo, e para que haja um plano de cargos e carreira. É uma luta nacional, em conjunto. Não haverá denúncia a quem aderir, até porque aderir ao PJ não seria incorreto. O que é considerado ilegal, em partes, é o regime de RPA, porque não gera vínculo, não paga décimo terceiro, não paga férias”, revelou.

SMS

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclareceu que, para haver desinterdições, é necessário apresentar uma escala de pelo menos dez dias para cada setor. A expectativa é de que, à medida que os problemas no Nestor Piva vão sendo resolvidos, as escalas no Fernando Franco serão elaboradas.

De acordo com a assessoria de Imprensa da SMS, a clínica médica deve ser o primeiro setor a ter escala definida, por contemplar a maioria da demanda. “No entanto, ainda não há um prazo. Os esforços estão sendo voltados para abrir, em sua plenitude, todos os setores do Nestor Piva”.

Em relação à obra no Fernando Franco, o órgão esclareceu que ela já estava prevista para acontecer. “Como o movimento está baixo, aproveitaram para começar logo. Ela não impede a reabertura dos serviços. Quando houver a montagem da escala, iremos retomar os atendimentos isolando as áreas, como vem acontecendo desde o início da gestão nas outras Unidades Básicas de Saúde. São melhorias sendo feitas, como pinturas, readequações, e expansão de espaços para receber os novos profissionais que serão transferidos do Nestor”.

Por Victor Siqueira

Comentários