Aumento na incidência de dengue deixa Aracaju em alerta

0
Waneska Barboza: estado de alerta (Foto: Portal Infonet)

Dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde revelam que a maioria dos bairros de Aracaju está em estado de alerta, apresentando risco classificado médio de epidemia da dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A capital sergipana desponta com duas mortes, tendo a dengue como causa confirmada, 139 casos notificados, 89 casos confirmados e outros 39 em investigação.

Tabela mostra a elevação no número de casos de dengue (Foto: reprodução SMS)

Conforme a SMS, 24 bairros, ou o equivalente a 56% dos logradouros da capital sergipana, apresentam médio risco de epidemia da doença e outros seis com a classificação de alto risco, o equivalente a 14% dos bairros da cidade. Dos 43 bairros, 13 estão com classificação de baixo risco de epidemia, o que é considerado satisfatório, na avaliação da secretária municipal de saúde, Waneska Barboza.

Estão no rol dos bairros considerados de alto risco de epidemia o Pereira Lobo, D. Luciano, o Bairro Industrial, Santo Antonio, Olaria e José Conrado de Araújo, onde se verifica um índice elevado da presença do mosquito, classificado como Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti (LIRAa). Nestes bairros, o LIRAa gira entre 4 a 7,2. O que deixa as autoridades de saúde pública em constante estado de alerta.

Neste ano, a média do LIRAa saiu do patamar de 1,2 em janeiro para a casa de 2,6 em julho, com um elevado índice de infestação, na ordem de 44%. Para a secretária, a situação de Aracaju ainda não se classifica como epidemia, mas os números são preocupantes. “O LIRAa aumentou e a gente precisa agir para evitar que isso se perpetue. Vai acabar o momento de chuva e vem o sol, momento propício para esses casos aumentarem”, alerta. “É preciso que a população tenha consciência para que a gente não perca o controle”, complementa a secretária, fazendo referência à necessidade de se evitar a presença de focos do mosquito comumente encontrados nas residências.

Vírus isolados

A SMS já identificou dois tipos de vírus circulando na capital: o DENV 1 e o DENV 2. A situação mais preocupante está nos bairros Santa Maria e 17 de Março, onde os dois vírus já estão circulando. Para conscientizar a população sobre a necessidade de eliminar os focos do mosquito, a SMS iniciará uma força tarefa, com mutirões, que serão iniciados no próximo sábado, 13, no bairro Santa Maria.

De acordo com a secretária Waneska Barboza, os focos mais presentes na capital estão nos depósitos de água ao nível do solo, nas lavanderias que geralmente são utilizadas para armazenar água, os vasos e pratos de plantas, ralos, lajes, vasos sanitários em desuso e diferentes sucatas.

por Cassia Santana

 

Comentários