Covid-19: profissional do Samu teme escassez de material de proteção

0
Material esta sendo racionado, afirma profissional (Foto: arquivo Portal Infonet)

Na linha de frente da assistência médica, os profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) já estão cientes que dias mais difíceis vêm pela frente, com o avanço da pandemia do Coronavírus no Brasil. O que também tem provocado aflição em alguns dos profissionais, é uma eventual falta de material hospitalar de uso profissional.

De acordo com Adilson Capote, um dos representantes da categoria, os profissionais necessitam utilizar mais materiais, como forma de proteção, mas veem poucos recursos disponíveis. “Posso dizer que hoje está perto de acabar. Não está tendo reposição suficiente e hoje já existe um racionamento” pontua.

Capote explica que um dos problemas vem da Central de Regulação. “Samu foi criado para demandas de urgência e emergência, e as vezes temos que deslocar a equipe para casos simples, que estão fora desse critério. Isso exige mais material, naturalmente”, afirma.

O profissional diz entender a dificuldade para encontrar o material hospitalar no mercado, mas reitera que se eventualmente faltar material nas ambulâncias, o serviço pode ser prejudicado. “A própria portaria estabelece com fundamental a segurança do trabalhador. Se não existir essa segurança, não tem como o profissional trabalhar”, conclui.

SES
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que todas as unidades hospitalares, inclusive o SAMU, foram devidamente abastecidas na última sexta-feira, dia 20, de equipamentos e insumos como luvas, máscaras e aventais. Existe no momento uma dificuldade de aquisição de máscaras e álcool gel em todo o país, os fornecedores estão alegando muitas dificuldades. Por conta disso, recomendamos o uso racional dos EPIs. Mas a Secretaria tem estoque e está abastecendo as unidades. Em relação a Central de Regulação de Urgência (CRU), a Secretaria informa que está avaliando a queixa informada pelo sindicato, inclusive com a possibilidade de separamos uma Unidade de Suporte Avançado (Usa) e uma Unidade de Suporte Básico (USB) exclusivamente para o atendimento a casos de síndrome gripal e suspeita de coronavírus.

A matéria foi alterada às 11h12 desta terça-feira, 24, quando a nota da SES chegou a redação da Infonet.

Por Ícaro Novaes

Comentários