Documento de identificação deve ser apresentado para vacinação

0
Documentos que tenham o CPF ou o cartão SUS devem ser apresentados nos locais de vacinação (Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, que em Sergipe começou nesta terça-feira, 19, imunizará inicialmente profissionais de saúde e idosos institucionalizados, pessoas com deficiência institucionalizadas e indígenas aldeados. O Ministério da Saúde garante, em seu Plano Nacional de Vacinação, que ninguém do grupo prioritário deixará de ser imunizado por estar sem o cadastro no aplicativo Conecte-SUS.

As pessoas podem fazer seu cadastro no aplicativo Conecte-SUS e utilizar o QR-Code para facilitar a identificação do cidadão durante o processo de vacinação. Mas, segundo o Ministério da Saúde, as pessoas fazem parte dos grupos prioritários elegíveis para a vacinação, mas que chegam ao serviço de saúde sem o seu QR-Code em mãos não deixará de ser vacinado.

A recomendação é que as pessoas estejam com o cartão do SUS ou com o CPF para que os profissionais da saúde localizem o cidadão na base de dados nacional de imunização, façam a vacina e a execução do registro da dose aplicada.

Em Sergipe, segundo o diretor de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Marco Aurélio Goes, as pessoas devem levar para os locais de vacinação um documento de identificação. “Todos precisaram ser identificados e cadastrados no sistema, pois terá que tomar a segunda dose”, explica.

Ainda segundo Marco Aurélio, Sergipe deve receber ainda hoje cerca de 50 mil doses e a princípio serão imunizados os profissionais de saúde. “Nessa fase apenas trabalhadores de saúde serão vacinados, estes devem apresentar a identidade no momento da vacina”, afirma.

Ainda segundo Plano Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde, será realizado pré-cadastro para alguns grupos-alvo. Diferentes bases de dados serão integradas com o SI-PNI e o aplicativo Conecte-SUS para identificar automaticamente os cidadãos que fazem parte dos grupos prioritários.

“Entretanto, caso o cidadão comprove que faz parte do grupo prioritário e não esteja listado na base de dados do público-alvo, o profissional de saúde poderá habilitá-lo no SI-PNI para receber a vacina. A ausência do nome do cidadão na base de dados do público-alvo não deve ser impedimento para ele receber a vacina, desde que comprove que integra algum grupo prioritário”, diz o ministério no Plano de Vacinação.

Doses

O Ministério da Saúde informou que irá imunizar inicialmente 3 milhões de pessoas do grupo prioritário no país, em duas doses da CoronaVac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Butantã.

Segundo dados do Ministério da Saúde a região Nordeste deve receber 1.436.160 doses da CoronaVac e deve imunizar inicialmente 683.924 pessoas do grupo prioritário. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) devem chegar a Sergipe ainda hoje cerca de 50 mil doses da vacina que serão aplicadas inicialmente em profissionais de saúde.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais